Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Gaia Todo Um Mundo, o festival por um planeta melhor

Ver

A partir desta quinta-feira, 15, e durante quatro dias, o centro histórico de Vila Nova de Gaia vai receber a primeira edição do Gaia Todo Um Mundo, com música, artes visuais e performativas, gastronomia e muitas outras atividades

Bordalo II foi um dos artistas que fez uma intervenção nas ruas do centro histórico de Vila Nova de Gaia

Bordalo II foi um dos artistas que fez uma intervenção nas ruas do centro histórico de Vila Nova de Gaia

Bordalo II

1. Pensar e viver o planeta
Com uma abrangente programação, o festival Gaia Todo Um Mundo (GTM) reúne, em Vila Nova de Gaia, entre esta quinta
-feira, 15, e domingo, 18, pensamento, música, artes visuais, arte urbana, dança, marionetas e gastronomia, entre muitas outras atividades, com mais de 200 intervenientes oriundos dos cinco continentes, para participarem em mais de 70 ações. 
O tema central desta edição de estreia é o Desenvolvimento Sustentável e as Alterações Climáticas.

2. Pela cidade
O GTM instala-se no centro histórico de Vila Nova de Gaia, ocupando espaços como o Convento Corpus Christi, Zé da Micha, Mercado da Beira-Rio, Largo Sampaio Bruno, Largo Santa Marinha, Rua de França, Rua de Guilherme Gomes Fernandes, Rua de Santa Marinha, Rua de Guilherme Braga, Largo da Igreja de Santa Marinha e Armazém 22. 
A entrada diária custa dez euros, enquanto o passe geral para os quatro dias fica a 
20 euros.

3. Entrar nas rotas
Durante os quatro dias do GTM, serão criadas diversas rotas, como a dos ativistas, a das marionetas, a dos petiscos ou da arte urbana, entre outras, para que os visitantes possam interagir como melhor entenderem com o festival, enquanto circulam nas ruas envolventes ao ponto central da iniciativa.

4. Músicas do mundo
Na vasta programação musical do GTM sobressaem alguns nomes grandes da denominada música do mundo, como o sírio Omar Suleyman, o angolano Bonga, a anglo-libanesa Nadine Khouri ou o projeto luso-angolano Batida, cabeças de cartaz de um alinhamento que inclui ainda novos valores como os portugueses Sensible Soccers, Octapush e Filho da Mãe, o tocador de kora gambiano Mbye Ebrima ou o cantautor brasileiro Luca Argel.

5. Intervir na rua
Tendo sempre por base a temática do desenvolvimento sustentável e das alterações climáticas, diversos artistas de rua nacionais e internacionais, como os Cumul Collective, Isaak Cordal ou Bordalo II, foram desafiados a criar uma série de intervenções no centro histórico de Vila Nova de Gaia, umas mais perenes e outras mais efémeras, de modo a requalificar e valorizar o território de uma forma diferente.

6. À conversa
Paralelamente a toda a programação artística, haverá diversos debates, conversas e conferências com pensadores nacionais e internacionais que levarão ao festival visões e experiências sobre os temas principais. Entre os convidados, destacam-se o jornalista ambiental britânico Geoffrey Lean, o presidente do Conselho Nacional do Ambiente Filipe Duarte Santos ou o também britânico Robert Hall, presidente da Ecolise, uma plataforma europeia para iniciativas sustentáveis e de combate ao aquecimento global por parte das comunidades locais.

7. Animações
Durante todo o festival não faltará animação pelas ruas da cidade, com a apresentação de espetáculos curtos de marionetas, que se repetirão ao longo da tarde, peças de dança, encontro de coros ou sessões de contadores de histórias, não esquecendo, claro, o baile tradicional, que ao final da tarde de domingo, 18, encerrará esta primeira edição do Gaia Todo Um Mundo.

Gaia Todo Um Mundo > Vila Nova de Gaia > 15-18 jun, qui-dom