Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

11 espetáculos para ver no FIMFA

Ver

  • 333

A partir desta quinta-feira, 11, o FIMFA LX – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas regressa para uma 17ª edição que se espalha por vários teatros de Lisboa. Luís Vieira e Rute Ribeiro descrevem, em discurso direto, os espetáculos que podemos ver até ao dia 28 de maio

Este ano, cabe a França o lugar de destaque na programação do FIMFA LX – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas, mas haverá espetáculos portugueses e vindos da Alemanha, Chile, Estados Unidos da América e Noruega. “Em 2017, lançamos o desafio de uma viagem pela marioneta contemporânea e as suas metamorfoses, pelo trabalho de artistas que são verdadeiros recoletores de imagens, que gostam de arriscar e propor novos pontos de vista, que são capazes de criar mundos a partir de um grão de areia, do ar, onde objetos ganham vida e nos fazem pensar”, dizem Luís Vieira e Rute Ribeiro, os dois diretores do FIMFA que, há quase duas décadas, nos mostram que as marionetas não são apenas para crianças, nem apenas bonecos presos por fios. Aqui descrevem-nos, em discurso direito, tudo o que poderemos ver a partir desta quinta-feira, 11, e até ao dia 28.

Familie Flöz, por Teatro Delusio

Familie Flöz, por Teatro Delusio

Pierre Borrasci

1. Familie Flöz

No espetáculo de abertura do FIMFA Lx17, dos alemães Teatro Delusio, podemos ficar a conhecer os bastidores do Teatro. Os segredos, paixões, traições e sonhos dos que costumam ficar na sombra, os técnicos dos teatros. Chega a parecer impossível que três atores, e as suas fantásticas máscaras, consigam dar vida a 30 personagens em palco, com um ritmo alucinante! Sem uma única palavra, mas tão eficaz, que temos a sensação de ver as máscaras a chorar ou a rir! Teatro Municipal Maria Matos > Av. Frei Miguel Contreiras, 52, Lisboa > T. 21 843 8800 > 11-13 mai, qui-sáb 21h30 > €5 a €14

2. Feos

Inspirado no conto La Noche de los Feos, de Mario Benedetti, os chilenos Teatro y su Doble apresentam um trabalho que nos faz refletir sobre a relação que a sociedade atual tem com a beleza e o seu oposto, e na descriminação que podemos sofrer por sermos diferentes. Tudo isto é encenado e transmitido de uma forma muito especial por marionetas, que são construídas e manipuladas com uma precisão e detalhes admiráveis. Teatro Municipal São Luiz – Sala Mário Viegas > R. António Maria Cardoso, 38, Lisboa > T. 21 325 7640 > 12-14 mai, sex-sáb 21h, dom 17h30 > €5 a €12

Bêtes de Foire, pelo Petit Théâtre de Gestes

Bêtes de Foire, pelo Petit Théâtre de Gestes

Vincent Muteau

3. Bêtes de Foire

Com o Petit Théâtre de Gestes (França), mergulhamos num universo de outros tempos, que junta circo, teatro de objetos, dança e marionetas! Um espetáculo cheio de imaginação pela mão de um casal extraordinário que, como os próprios afirmam, criou o circo da sua vida, e nos faz sonhar com as antigas famílias circenses e caravanas cheias de artifícios que percorriam o mundo. Gostam de fazer segredo absoluto sobre o que se passa no interior da sua tenda singular, mas podemos garantir que o humor, o talento e a sensibilidade vão ficar na nossa memória! Tenda no Museu De Lisboa – Palácio Pimenta > Campo Grande, 245, Lisboa > 13-21 mai, qui-sex 21h, sáb-dom 19h > €5 a €12

4. L’Après-Midi d’un Foehn

Este ballet aéreo para sacos de plástico, criado pela companhia Non Nova (França), é como um sonho! Gostamos muito da ideia destes sacos de plástico ganharem vida através de correntes de ar, criadas por ventiladores. O vento é que os manipula e eles parecem estar realmente vivos! Transformam-se em bailarinos excecionais e dançam e voam no ar ao som de Claude Debussy. Com uma beleza mágica, passamos o tempo concentrados nestes seres, coreografados pela criadora Phia Ménard, que gosta de trabalhar com objetos que não se podem tocar, ou que sejam difíceis de abordar, e desta vez escolheu o vento. Teatro Municipal São Luiz – Sala Mário Viegas > R. António Maria Cardoso, 38, Lisboa > T. 21 325 7640 > 18-21 mai, qui-sex 10h30 e 14h30, sáb-dom 11h e 16h

The Adventures of White-Man, de Paul Zaloom

The Adventures of White-Man, de Paul Zaloom

Johanna Austin

5. The Adventures of White-Man

É uma honra apresentarmos o carismático Paul Zaloom, pioneiro do teatro de objetos americano e que foi membro da conhecida companhia revolucionária Bread and Puppet Theatre. Mestre em sátira política, o seu humor invulgar vai fazer-nos rir e refletir sobre o mundo. Há também sempre muita improvisação, e com o que se tem passado nos EUA, o Paul já nos disse que tem muitas novidades... No espetáculo usa a sua coleção incrível de bonecos e objetos inimagináveis, que são projetados num ecrã. Sempre com muita loucura e situações inesperadas! Teatro Nacional D. Maria II > Pç. D. Pedro IV, Lisboa > T. 21 325 0800 > 19-21 mai, sex 21h30, sáb-dom 19h > €12

6. Celui Qui Tombe

Espetáculo do francês Yoann Bourgeois. Numa plataforma gigante manipulada, seis artistas tentam manter o equilíbrio e lutam contra a gravidade e nós... ficamos atónitos com estes corpos que fazem movimentos incríveis numa coreografia estonteante. E a plataforma, qual tapete voador, parece ter vida. Quem manipula quem? Uma experiência arrebatadora! Teatro Municipal São Luiz > R. António Maria Cardoso, 38, Lisboa > T. 21 325 7640 > 20-21 mai, sáb 21h, dom 17h30 > €5 a €15

7. Cendres

Marionetas de tamanho humano, atores e projeções de vídeo combinam-se no espetáculo dos Plexus Polaire (França-Noruega), que é uma viagem ao interior da mente de um incendiário. Um espetáculo com imagens muito fortes, cheio de chamas, com uma manipulação fantástica e que vai ser um dos momentos marcantes do festival. Teatro Municipal Maria Matos > Av. Frei Miguel Contreiras, 52, LIsboa > T. 21 843 8800 > 20-21 mai, sáb-dom 21h30 > €5 a €12

Milieu, de Renaud Herbin

Milieu, de Renaud Herbin

Benoît Schupp

8. Milieu

O francês Renaud Herbin apropriou-se das marionetas de fios e criou um espetáculo-instalação em que aborda esta técnica milenar à luz de uma escrita contemporânea. Num dispositivo singular, está a mais de três metros de altura e manipula uma marioneta com longos fios. Ficamos presos ao seu detalhe e ao magnetismo que é produzido pelas imagens em articulação com o som, e pelo solo, que parece respirar... A marioneta de fios foi construída por Paulo Duarte, português radicado em França, e que já se apresentou diversas vezes no FIMFA. Teatro Municipal São Luiz – Sala Mário Viegas > R. António Maria Cardoso, 38, Lisboa > T. 21 325 7640 > 22-23 mai, seg-ter 19h e 21h > €5 a €12

9. Como um Carrossel

O Teatro de Marionetas do Porto resolveu dar um novo olhar a um texto e espetáculo do saudoso João Paulo Seara Cardoso. Em Como um Carrossel, dedicado aos mais novos, seguimos viagem através das aventuras de uma menina e da forma como se relaciona com a vida. Teatro Taborda > Costa do Castelo, 75, Lisboa > T. 21 885 4190 > 24-25 mai, qua-qui 14h30

Tria Fata, pela Cie La Pendue

Tria Fata, pela Cie La Pendue

Tomas Vimmr

10. Tria Fata

O espetáculo da Cie La Pendue (França) junta uma marionetista e um músico num cabaret invulgar. Seguimos uma vida retratada por marionetas com vários tipos de manipulação, que parecem ter vida própria, acompanhadas de música ao vivo, interpretada por um artista invulgar que toca vários instrumentos. Um espetáculo comovente que estica os fios da vida e onde a marioneta é apresentada como um símbolo universal da humanidade. Teatro Municipal São Luiz – Sala Mário Viegas > R. António Maria Cardoso, 38, Lisboa > T. 21 325 7640 > 26-28 mai, sex-sáb 21h, dom 17h30 > €5 a €12

11. Bela Adormecida

O Teatro de Ferro criou uma nova versão da Bela Adormecida. Nesta criação, a Bela quando adormeceu sonhava muito, e estes sonhos eram tão intensos que se misturavam com os que olhavam por ela. Será que vamos também ter a Bela a entrar nos nossos sonhos? Teatro Taborda > Costa do Castelo, 75, Lisboa > T. 21 885 4190 > 27-28 mai, sáb-dom 16h