Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Festival DDD – Dias da Dança: Movimentos a três

Ver

O Festival DDD – Dias da Dança leva ao Porto, a Vila Nova de Gaia e a Matosinhos nove coreografias em estreia absoluta, num programa com 35 espetáculos, espalhados por salas e espaços públicos

Muros, de Né Barros é uma das nove estreias absolutas da segunda edição do festival internacional de dança contemporânea

Muros, de Né Barros é uma das nove estreias absolutas da segunda edição do festival internacional de dança contemporânea

Susana Neves

A inquietação com as questões do território, da fronteira e da paisagem perseguem Né Barros desde há longos anos. “Relaciona-as intimamente com o que pode ser o corpo dançante, no sentido de ver até onde o corpo pode ir”, explica a coreógrafa e diretora do Balleteatro. No espaço poético formado em Muros, há uma convocação de imagens de guerra, de desejo de liberdade, de opressão, de estados de tensão, remetendo diretamente para a situação atual dos refugiados. “Falamos de muros, visíveis e invisíveis, que nos impedem de chegar ao outro e de viver a vida de uma forma mais total e solidária”, sublinha. A cenografia de João Mendes Ribeiro compõe-se de vários blocos movíveis, numa reconfiguração constante do palco que confina os movimentos dos cinco bailarinos. Para lá destes muros, passa a música criada e interpretada ao vivo por Alexandre Soares e a voz de Ana Deus lendo poemas de Paul Celan e Robert Desnos.

Esta será uma das nove estreias absolutas da segunda edição do festival internacional de dança contemporânea, muitas delas da autoria de criadores da cidade (como Joana von Mayer Trindade, Hugo Calhim Cristóvão e Joana Castro), a quem é dada a oportunidade de mostrar o seu trabalho a programadores internacionais, convidados a vir ao Porto pela organização.

De destacar ainda a forte programação internacional, logo no primeiro fim de semana, com a estreia nacional de Faits et Gestes, da jovem coreógrafa francesa Noé Soulier (sexta, 28), e de BiT, da veterana Maguy Marin (sábado, 29). No DDD – Out mostra-se ainda com uma série de propostas para o espaço público, desde o Convento Corpus Christi, em Vila Nova de Gaia, à praça D. João I, no Porto. Já no DDD – Extra, haverá um conjunto de atividades como workshops, masterclasses e sessões de cinema, promovendo a reflexão em torno da dança.

Festival DDD – Dias da Dança > Teatro Nacional São João, Teatro Municipal Rivoli, Teatro Municipal Campo Alegre, Coliseu do Porto, Auditório de Serralves, Constantino Nery, Armazém 22, Palácio do Bolhão e outros > T. 22 339 2200 > 27 abr-13 mai > €5 a €10