Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

E agora para algo completamente diferente: o Festival Iminente

Ver

Gabriela Lourenço e André Moreira

  • 333

Músicos e artistas contemporâneos juntam-se num festival com tom de festa popular. O Festival Iminente, que acontece no Jardim Municipal de Oeiras, entre esta sexta, 23, e domingo, 25, é uma montra da cultura urbana, com curadoria de Vhils. Veja o vídeo com os primeiros trabalhos

Festa popular que se preze tem que ter farturas, quermesse e carrinhos de choque. Certo? Substitua-se a música pimba pelas mais recentes tendências da música, deem-se outros formatos à iluminação em néon e troque-se o comboio fantasma e as voltinhas no pónei por grandes instalações de artistas. Vai ser assim a primeira edição do Festival Iminente, que ocupa o Jardim Municipal de Oeiras durante três dias, com uma programação de música e arte contemporânea que tem a curadoria de Alexandre Farto/Vhils. “Quisemos criar um festival que juntasse artistas da nova geração ligados à cultura urbana”, resume. O projeto, diz, viverá da “comunhão entre diferentes áreas, criando pontes e diálogos entre artistas”. Nos três dias do festival, haverá músicos a dar concertos, djs em dj set e a animar a pista, artistas contemporâneos, mais ou menos ligados à street art e ao graffiti, e haverá, acima de tudo, interação entre uns e outros. Alguns saem da sua zona de conforto – ou, melhor, esticam essa zona até lugares onde nunca tinham esticado antes.

O palco principal quebrará a barreira entre artistas e público e promete estimular a proximidade. Um outro estará instalado numa antiga estufa fria, “com um aspeto de ruína, que lhe dá um vibe interessante”, descreve Alexandre Farto. Os djs, esses, atuarão numa pista pouco tradicional, preparada para eventuais choques. Na sexta, 23, quem dá música são os Paus, Linda Martini, Batida (dj set), Dj Ride, BBG (parkbeat), Dj Glue Thunder & Co. Seguem-se, no sábado, 24, Chullage, Halloween, Orelha Negra (dj set), Keso, Dj Firmeza, Dj Marfox e Francis Dale. A fechar, no domingo, 25, os palcos estarão preparados para Ana Moura, Isaura, Dead Combo, Slow J, Sam the Kid + Dj Big (dj set) e Kalaf.

Entre os artistas, alguns farão pintura ao vivo, outros terão ali instalações – algumas interativas – e outros ainda vão apresentar performances nos três dias do festival. “Será quase uma exposição a céu aberto”, promete Vhils, que terá três peças no Iminente, duas delas com técnicas e materiais que nunca tinha usado antes. Wasted Rita e Miguel Januário são dois dos que farão performances no festival – e valerá mesmo a pena procurá-los no recinto. Add Fuel, André da Loba, AkaCorleone, Bordalo II, Clemens Behr, David Oliveira, Okuda, Mar, Maria Imaginário, Mário Belém, Pedrita e Pedro Matos completam a programação. “Quisemos fazer algo único, experimental”, conclui Alexandre Farto. Parte do gozo do Iminente estará, sem dúvida, nas surpresas que estão preparadas. E mais não dizemos, para não estragar a descoberta.

Jardim Municipal de Oeiras > 23-25 set, sex-sáb 16h-2h, dom 14h-20h > €2 (bilhete diário, não existem passes)