Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

"La Casa de Papel", na Netflix: A quadrilha volta a juntar-se

TV

A terceira temporada de La Casa de Papel promete ser uma “declaração de guerra ao sistema” e a Resistência tem, agora, um dos seus em perigo. O Banco de Espanha é o próximo alvo nos novos episódios , disponíveis a partir desta sexta, 19, na Netflix

La Casa de Papel começou tímida no canal espanhol Antena 3, em maio de 2017, com um primeiro episódio visto por 4 milhões de espectadores. Só se tornou um fenómeno mundial ao passar para o catálogo da Netflix, em dezembro desse ano

La Casa de Papel começou tímida no canal espanhol Antena 3, em maio de 2017, com um primeiro episódio visto por 4 milhões de espectadores. Só se tornou um fenómeno mundial ao passar para o catálogo da Netflix, em dezembro desse ano

Tamara arranz ramos

Ainda a terceira temporada de La Casa de Papel não se estreou e já foi anunciada uma quarta fornada de episódios da série mais aguardada deste verão, além de Stranger Things. As expectativas estão elevadas para os espectadores dos cinco continentes e com um trailer cheio de cenas de ação, em jeito de Missão Impossível, a curiosidade aguça-se ainda mais. Por cá, o sururu à volta da série espanhola começou logo com a campanha promocional da Netflix, ao pegar na investigadora policial Raquel Murillo, agora integrada no bando de assaltantes e batizada com o nome Lisboa. O spot mostra a atriz basca Itziar Ituño a receber um telefonema fictício do nosso Professor, leia-se Marcelo Rebelo de Sousa, a felicitá-la.

“A série está maior em magnitude e em complexidade”, declarou o seu criador, Álex Pina, ao El País. A equipa deixou o set em Colmenar Viejo para filmar na Tailândia. Na ilha paradisíaca, Tóquio e Rio são descobertos e, enquanto ela consegue escapar, ele é apanhado. Livre e rico, o bando de assaltantes tem, agora, de conseguir sobreviver e, liderado novamente pelo Professor, volta a reunir-se para resgatar Rio. Na mira está o assalto ao Banco de Espanha e o iminente regresso de Berlim. “Precisávamos de uma razão muito poderosa para abrir esta temporada, não poderia ser comercial, mas emocional”, explica Pina.

A aventura decorre em cinco tempos diferentes sobrepostos, com muita ação à mistura. “Não são flashbacks, mas têm uma identidade quase emocional e acontecem uns após os outros, um quebra-cabeças para o espectador. Ter vários níveis de narrativa dá-lhe a possibilidade de ser muito mais ativo, inteligente e de estar envolvido em algo para o qual precisa de estar mais atento. Implica um maior grau de envolvimento do espectador.” Nesta sexta, 19, acaba a espera.

La Casa de Papel > Estreia 19 jul, sex