Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Última temporada de "A Guerra dos Tronos": A grande muralha dentro de nós

TV

É chegada a hora, o inverno está aí. Mortos e vivos enfrentam-se no campo de batalha e, no fim, perdemos uma das mais fascinantes séries de sempre. A oitava e última temporada de A Guerra dos Tronos estreia-se na madrugada de domingo, 14, para segunda, 15, no canal Syfy e na HBO

E depois? Para quem já sente saudades de A Guerra dos Tronos, a boa notícia é que se está a trabalhar em prequelas e sequelas. Seria um desperdício não aproveitar um cenário tão rico como Westeros.

E depois? Para quem já sente saudades de A Guerra dos Tronos, a boa notícia é que se está a trabalhar em prequelas e sequelas. Seria um desperdício não aproveitar um cenário tão rico como Westeros.

Oh, my sweet summer child, what do you know of fear?” A pergunta da velha ama, logo na primeira temporada, a Brandon Stark, provoca--nos – o que sabem estas “crianças” privilegiadas sobre o medo? E a velha descreve-o: o medo do inverno, quando a neve chega aos 30 metros e o vento gelado uiva vindo do Norte; medo é a longa noite quando o sol se esconde durante anos e as crianças nascem, vivem e morrem na escuridão, enquanto os lobos gigantes crescem magros e esfomeados e os caminhantes brancos se deslocam pelos bosques... Medo sempre tivemos do que está atrás daquela muralha enorme, naquelas terras brancas e frias, como se fosse uma parte de nós feia, tão feia que nem a queremos ver (e por isso nos lembramos de David Lynch e do seu Twin Peaks, quando desvenda ao espectador aterrado que o maior terror de todos é olhar para dentro e ver o mal em nós).

E agora a muralha foi transposta, o mal transbordou para o lado de cá, ganhou força na torrente com um dos dragões de Daenerys e ficamos à espera dos seis episódios que faltam, contando-lhes os minutos (entre 54, o primeiro, e 80, o último). Pelo meio, havemos de desejar com muita força que Jon Snow e Daenerys Targaryen (afinal, sobrinho e tia) fiquem juntos; que o nosso amado Tyrion continue a deliciar-nos com as suas famosas tiradas; que Jaime se liberte de vez de Cersei; que Brienne se renda por fim aos encantos do selvagem Tormund; que Arya e Sansa... Poderá Sansa sentar-se no Trono de Ferro? Jon? O rei da noite? Medo já o sentimos pelo que há de vir, pelo dia 19 de maio, quando chegar o último minuto do último episódio, porque se aprendemos alguma coisa com A Guerra dos Tronos foi que os finais infelizes podem ser tão ou mais estimulantes do que os felizes. E qualquer coisa pode acontecer. Até lá, é desfrutar de um enredo fantasioso (e, ao mesmo tempo, tão parecido com o nosso mundo, em tantas coisas!), com a certeza de que poderemos sempre contar com uma boa dose da “velha ultraviolência”, como dizia Alex DeLarge, personagem principal de Laranja Mecânica. Nisso, A Guerra dos Tronos nunca desilude.

A Guerra dos Tronos > SyFy > estreia 15 abr, dom 2h > repete 22h15 > HBO > 15 abr, dom 2h