Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

'Springsteen On Broadway' já está disponível na Netflix e é uma autobiografia contada em canções

TV

O espetáculo-performance no Teatro Walter Kerr, em Nova Iorque, deu um filme agora disponível no serviço de streaming. Springsteen On Broadway está disponível no catálogo da Netflix. Bravíssimo

Algumas das histórias que Bruce Springsteen vai desfiando já eram conhecidas da sua autobiografia Born To Run, publicada há dois anos, mas muitas outras são agora reveladas neste espetáculo

Algumas das histórias que Bruce Springsteen vai desfiando já eram conhecidas da sua autobiografia Born To Run, publicada há dois anos, mas muitas outras são agora reveladas neste espetáculo

DR

Bruce Springsteen tinha 7 anos quando assistiu, pela televisão, à atuação de Elvis Presley no programa de Ed Sullivan. Estávamos em 1956 e aquele momento, num domingo à noite, foi pura magia para um miúdo que não mais parou de sonhar com a música e que fez do rock ‘n’ roll a sua vida. Em Springsteen On Broadway, o músico, agora com 69 anos, está sozinho em palco, ora com uma guitarra acústica ora ao piano, com uma entrega enorme. Durante cerca de duas horas e meia, percorre a sua vida, entre alegrias, tristezas e dúvidas, com uma simplicidade que conquistou o público, esgotando todas as noites do Teatro Walter Kerr, em Nova Iorque, com capacidade para 939 pessoas, entre outubro de 2017 e dezembro de 2018. O espetáculo-performance teve 236 apresentações, cinco dias por semana, de terça a sábado, e resultou num disco e num filme, agora disponível na Netflix.

Logo no início, Bruce Springsteen avisa: “Nasci numa cidade à beira-mar, onde tudo está contaminado com uma certa falsidade, incluindo eu. Nunca tive um emprego honesto na minha vida, nunca trabalhei das nove às cinco (até agora, brinca), nunca vi o interior de uma fábrica e, no entanto, escrevi sobre tudo isto. De pé, diante de vocês, está um homem que se tornou bem-sucedido a escrever sobre algo de que não tinha experiência absolutamente nenhuma. Eu inventei tudo. Não há como não sorrir. A atuação inclui 15 clássicos de um vasto repertório, com Springsteen a contar a origem de cada canção. Fala da relação com o pai – a interpretação de Long Time Comin segue-se à descrição emocionada de uma reconciliação em fim de vida, na véspera do nascimento de seu primeiro filho; recorda a mãe, elogiando-lhe a beleza, a bondade, o otimismo e a paixão pela dança, para soltar depois os primeiros acordes de The Wish; e chama ao palco Patti Scialfa, a sua mulher, com quem canta Tougher Than the Rest e Brilliant Disguise.

Pelo meio, recorda a sua cidade, Freehold, no estado de Nova Jérsia (My Hometown), Clarence Clemons, saxofonista da E Street Band (Tenth Avenue Freeze Out), e revela sonhos e aspirações, ao tocar temas como Thunder Road e Dancing in the Dark. Algumas das histórias que vai desfiando já eram conhecidas da autobiografia Born To Run, publicada há dois anos, mas muitas outras são agora reveladas. Apesar de o livro servir de inspiração ao espetáculo, este surgiu depois de Bruce Springsteen ter tocado para Barack Obama, em janeiro de 2017. Born To Run fecha Springsteen On Broadway, com o músico a marcar lentamente o ritmo da canção no corpo da viola, para depois a luz no palco se apagar, dando lugar aos aplausos – merecidos.

Springsteen On Broadway > Disponível na Netflix