Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Na série 'Altered Carbon', a imortalidade está à distância de um 'download'

TV

Em Altered Carbon, a nova série da Netflix, meio cyberpunk com laivos de Blade Runner, a tecnologia dá o que só a religião promete. Memórias, personalidade e consciência humana, cabe tudo num chip

A revista Forbes elegeu Altered Carbon – uma história de ficção científica sobre um tipo de tecnologia que prolonga a vida para sempre – como a nova produção da Netflix mais aguardada do ano

A revista Forbes elegeu Altered Carbon – uma história de ficção científica sobre um tipo de tecnologia que prolonga a vida para sempre – como a nova produção da Netflix mais aguardada do ano

Katie Yu / Netflix

A quem interessar a vida eterna, Altered Carbon dá uma perspetiva bastante futurista da questão, tal como todos os argumentos que incluem chips inseridos no corpo humano. Esta adaptação do romance homónimo de Richard Morgan, publicado em 2002, resulta em dez episódios de um thriller intenso de ficção científica.

A revista Forbes elegeu-o até como a nova produção mais aguardada do ano na plataforma de streaming Netflix. “É uma história de ficção científica sobre um tipo de tecnologia que prolonga a vida para sempre”, explica Laeta Kalogridis, produtora executiva. Não podia vir mais a propósito, com temas como Inteligência Artificial e realidade virtual nas bocas do mundo. “É uma ficção científica futurista, com elementos de filme negro, mas também é um programa de televisão”, escreve Erik Kain na Forbes.

Na opinião do blogger, a série compete mais com Westworld, porque ambas retratam sociedades distantes num mundo distópico, do que com A Guerra dos Tronos. No ano 2019, Laurens Bancroft (James Purefoy) é considerado um homem muito rico em vários planetas. A primeira vez que morreu tinha 99 anos. Mas uma nova tecnologia transferiu a sua consciência, memórias e personalidade incluída, para um novo corpo e durante 263 anos revestiu-se de diferentes corpos, sempre com uma saúde de ferro. Os humanos têm um chip implantado na nuca, onde a sua consciência é armazenada, podendo fazer download para um novo corpo sempre que necessário. Em 2384, já com 365 anos, este homem morre novamente, mas agora existe alguém para resolver o seu assassinato, que na versão da polícia foi suicídio.
O protagonista da história, Takeshi Kovacs (Will Yun Lee), é um japonês americano, morto há muitos séculos antes de ser trazido de volta e colocado num outro corpo (Joel Kinnaman), para resolver o homicídio. Para este antigo soldado de elite ressuscitado, o perigo de se viver demasiado é esquecer o medo da morte. As cenas de ação incluem lutas descritas pelos próprios atores como intensas, fortes, reais e até macabras. Who Wants To Live Forever, já cantava Freddy Mercury, há mais de 30 anos.

Altered Carbon > estreia 2 fev, sex