Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

'Vikings': Ei, ei, Vickie, ei, Vickie, ei

TV

O gosto pelo desconhecido levou o “nosso” Albano Jerónimo a aceitar fazer parte do elenco da quinta temporada da série Vikings. Um trabalho que lhe confere “mais liberdade artística”, diz. Para ver no TVSéries, a partir deste domingo, 3

Albano Jerónimo 
em Vikings

Albano Jerónimo 
em Vikings

Alguns leitores, possivelmente, conseguirão também trautear o título deste texto – se passaram a infância nos anos 1970 e viam desenhos animados ao sábado de manhã. Vickie, O Viking era uma série de anime nipo-alemã que nos inspirou quando imaginámos o ator português Albano Jerónimo, por mares nunca dantes navegados, na época dos vikings, a bordo de uma imponente embarcação. 
As gravações da sua entrada em cinco episódios da série Vikings, produzida pelo canal História, passou pelo mar da Irlanda, Marrocos e Islândia.

Para esta coprodução entre Irlanda e Canadá, a partir de uma ideia original escrita por Michael Hirst (Os Tudors), o ator, habituado às tábuas dos palcos nacionais, teve de aprender grego arcaico. Foi “um mês inteiro a partir pedra” com um professor particular, conta.

Logo no casting, Albano Jerónimo vestiu a pele de Euphemius, mas garante à VISÃO Se7e que 70% do seu trabalho foi feito pela produção, com figurinos que pesavam 15 quilos, cicatrizes, tatuagens e barcos construídos de raiz. O ator descreve Euphemius como uma personagem escorregadia, um interesseiro. “É um político e entra no momento em que os vikings passam pelo Norte de África para irem até à Grécia. Eles, na verdade, querem expandir a sua arte e eu digo-lhes para se juntarem a mim na força bruta e terão o político que quiserem.”

Foi no Passaporte, uma iniciativa da Academia de Cinema Português, que Albano Jerónimo conheceu melhor os responsáveis por produções internacionais. “Sou um ator que prefere o contacto pessoal antes do casting e aí acho que tenho vantagem. Pela primeira vez, um realizador disse--me que já tinha percebido que eu era um ator de teatro.” O “encontro feliz” com o diretor de casting Frank Moiselle foi “uma conversa curta e simples”, com uma audição marcada para mais tarde e uma ida à Irlanda para provas de guarda-roupa.

“Este trabalho confere-me mais liberdade artística”, sublinha. “Gosto de desafios que não domino e estes mercados são algo que não conheço. Quero experimentar-me noutros meios para ter uma continuidade da minha expressão cá.”

A participação de Albano Jerónimo em Vikings é a mais mediática, mas a sua internacionalização começou na série espanhola Los Serrano. Depois, na Alemanha entrou no filme Fado, de Jonas Rothlaender, e no telefilme Bella Block. Antes, não esquece a experiência com Raoul Ruiz em Mistérios de Lisboa.

Vikings > TVSéries > estreia 3 dez, dom 22h