Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

As 14 séries de televisão que vão valer mesmo a pena neste outono

TV

  • 333

Numa altura em que meio mundo anda às voltas com a segunda temporada de Narcos e o restante agarrado a Stranger Things, a VISÃO Se7e desfia o rol das 14 séries de televisão que neste outono vão valer mesmo a pena

High Maintenance estreou na TVSéries

High Maintenance estreou na TVSéries

High Maintenance Desde 2012 que High Maintenance, transmitida na plataforma Vimeo, se transformou numa série de culto. Criada pelo casal Ben Sinclair e Katja Blichfeld, com um orçamento minúsculo, baseia-se na história de The Guy, um anónimo vendedor de marijuana ao domicílio que se desloca de bicicleta. O papel do simpático dealer, natural de Brooklyn, que na verdade funciona quase como um psicólogo dos seus clientes nova-iorquinos, é desempenhado pelo próprio Ben Sinclair, numa versão bastante barbuda. Depois de quatro anos de êxitos na internet, em que eram disponibilizados pequenos episódios (dez minutos cada, mais coisa, menos coisa) centrados, à vez, na história de um dos clientes, a HBO decidiu pegar nesta pérola e adaptá-la aos moldes televisivos (seis episódios de meia hora). Impossível não evocar Weeds (Erva), a série em que a viúva Nancy Botwin criava um sistema de produção desta droga leve e a vendia às pessoas mais insuspeitas da sociedade americana. TVSéries, 16 set, sex 4h (estreia) > dom 21h45 (restantes episódios)

Halcyon Destinada a amantes da ficção científica, Halcyon não é apenas um formato televisivo, para ser consumido em frente ao pequeno ecrã. Além de estar disponível no canal Syfy, pode ser seguida através do site, naturalmente, ou usando os Oculus Rift e Samsung Gear VR. Aliás, haverá cinco episódios (os últimos de 15) que serão exclusivos para as plataformas de realidade virtual. A série, escrita e produzida pelo Secret Location (um estúdio canadiano multipremiado internacionalmente), passa-se em 2040 e centra-se na maior companhia de realidade virtual, a Halcyon. A confusão começa quando a empresa decide aderir a implantes neurológicos para manipular os sentidos de forma a criar um mundo virtual. Quando o diretor da Halcyon aparece morto, a história muda de figura e há que investigar o primeiro crime virtual da História. Realizada por Benjamin Arfmann, a série conta com nomes como Michael Therriault, Lisa Marcos ou Harveen Sandhu. Syfy, 22 set, qui 21h45

Empire regressa à FOX Life para a terceira temporada

Empire regressa à FOX Life para a terceira temporada

Empire Quem já seguia este drama musical, que nos conta a história da luta de poder entre três filhos e uma mãe (e ex-mulher, acabada de sair da prisão), para ver qual deles sucede ao pai, supostamente doente, na sua Empire, fica já a saber que esta terceira temporada vai contar com a participação de Mariah Carrey, French Montana e Birdman. Os que nunca viram a família Lyon em ação para se sentar no trono de Lucious, um artista talentoso, CEO de uma importante empresa e antigo delinquente, podem atualizar-se depressa para estarem aptos no dia 22. Valerá a pena, já que o criador da série é Lee Daniels (nomeado para um Oscar), Danny Strong (ganhou um Emmy) e Brian Gazer (detentor de um Oscar) e a banda sonora, quase toda em modo hip hop, faz mesmo a diferença. FOX Life, 22 set, qui 23h10

Principais Suspeitos Diz o tablóide inglês The Sun que se trata de uma abordagem fresca a um programa típico de histórias de crime. De facto, Suspects, no original, acompanha a polícia de Londres enquanto dura a investigação de um caso até à sua resolução. Os detetives Jack Weston, Charlie Steele e Martha Bellamy vão atrás de pistas para tentar resolver homicídios, desaparecimentos, violações e toda a espécie de crimes violentos. Em cada um dos episódios da primeira temporada, em que os atores não têm guião para dar mais veracidade à trama, os casos ficam (bem ou mal) fechados – em modo reality fiction, o que quer dizer que a coisa parece mesmo verdadeira, mas não é. Nestes episódios, agora transmitidos na Radical, haverá histórias de uma criança raptada, de agressões e abuso de estupefacientes num bar, uma overdose e um esfaqueamento de uma estudante num parque londrino. E nós lá estaremos, no sofá e de olho na TV, para acompanhar como é que isto tudo se resolve. SIC Radical, 24 set, sáb 22h45

O AXN White passa a sétima temporada de Pequenas Mentirosas

O AXN White passa a sétima temporada de Pequenas Mentirosas

Pequenas Mentirosas Já vai na sétima temporada, a série que se baseia na coleção de best-sellers de Sara Shepard, Pretty Little Liars, e que agarra adolescentes à televisão (se isso ainda é um cenário possível) e às redes sociais (foi a série que gerou o maior tráfego de sempre na história). A ação começa um ano depois de Alison, a pérfida rainha da escola, como são sempre as rainhas das escolas americanas, desaparecer num bairro suburbano. Mas é quando Aria, Hanna, Spencer e Emily, quatro amigas que entretanto se afastaram, começam a receber mensagens misteriosas e ameaçadoras, que levam a crer que estejam a ser vigiadas pela desaparecida, que a ação aquece. Nesta nova temporada de Pequenas Mentirosas, as quatro amigas continuam sem conseguir desmascarar a célebre A., que lhes assina as mensagens assustadoras e as ameaça com a revelação das mentiras e segredos que sempre guardaram. À medida que vão descobrindo mais sobre de cada uma delas, cresce a urgência na descoberta do autor dos sms. Será desta que saberemos quem é? AXN White, 27 set, ter 21h

Anatomia de Grey Há quem diga que, à 13ª temporada, já não há paciência para os dramas de Meredith Grey e do hospital de Seattle, onde trabalha um grupo de médicos que nos habituámos a acompanhar, chorando mais morte, menos morte, há 11 anos. E depois há os fiéis, aqueles que sabem que quase se trata de uma telenovela, que a história está um pouco gasta, mas que não conseguem largar os dramas dos seus “amigos” de longa data. Até porque os últimos episódios acabam sempre de modo abrupto, deixando os fãs da série em suspenso, com uma dúvida, até ao regresso de novos episódios. Nesta temporada, escrita mais uma vez por Shonda Rhimes, a questão que se põe é a de se saber como vai evoluir a relação de Meredith com o seu novo caso, o enigmático cirurgião cardíaco Riggs – é quase certo que vai haver disputa entre as duas irmãs Grey. Melodrama ou nem por isso, não será por acaso que Anatomia de Grey tem um palmarés de dois Globos de Ouro, outros 65 prémios e mais 196 nomeações. FOX Life, 28 set, qua 22h20

Luke Cage Há dias, a Netflix mostrou ao mundo o trailer da nova série da Marvel, prestes a estrear em todo o mundo, e assim sossegou os fãs de super-heróis. Luke Cage é a terceira dose a sair de um acordo estabelecido entre os dois gigantes americanos, em julho do ano passado. E chega depois de duas temporadas de Daredevil (Demolidor) e uma de Jessica Jones (que se envolveu de forma bastante explícita com Luke Cage). Mas estreia-se antes de Iron Fist e da série que vai juntar os quatro super-heróis, os Defenders (tudo isto é baseado em personagens de banda desenhada com várias décadas). Mike Colter interpreta o herói que tem uma pele impenetrável – à prova de bala, por exemplo – e que usa o seu superpoder para ajudar na luta contra o crime, no submundo de Nova Iorque, em Harlem. A cultura negra – Luke Cage foi o primeiro super-herói de pele escura – é também muito explorada nesta série (até mesmo através do hip hop), já muito aclamada por quem pode espreitar alguns episódios. Netflix, 30 set, sáb

Sarah Jessica Parker regressa ao pequeno ecrã em Divorce

Sarah Jessica Parker regressa ao pequeno ecrã em Divorce

Divorce Dez anos depois de ter acabado O Sexo e a Cidade (já passou uma década?!), Sarah Jessica Parker regressa à HBO para se divorciar. Desta vez, a atriz (que, agora, se chama Frances) quer separar-se de Thomas Haden Church (Robert na ficção). O assunto é sério, até porque o casal tem dois filhos, mas o registo fica-se pela comédia dramática (qualquer semelhança com O Sexo e a Cidade não é coincidência). No entanto, se vai ver Divorce para comparar Carrie Bradshaw com Frances, a atriz diz-lhe já que esta última personagem é muito mais autêntica e não tem o armário recheado de roupa de assinatura. A mulher que pede o divórcio ao seu marido de bigode farfalhudo prefere roupa vintage, feita à mão e até usada. Pelo meio da trama haverá terapia de casal, claro, numa tentativa de ultrapassar as traições de ambos os lados. Não vamos ser spoilers ao ponto de dizer se as sessões com a psicóloga resultaram ou não. Só vendo. TVSéries, 9 out, dom 3h (estreia) > qui 22h30

Insecure Qualquer que seja o género em que a HBO toca, é quase certo que de lá sai um produto de qualidade. Pelo menos assim se espera desta série cómica, protagonizada pela atriz negra Issa Era (célebre por The Mis-Adventures of Awkward Black Girl). A alusão ao tom de pele é propositada, já que a promoção faz questão de afirmar que, antes de mais, Insecure é uma declaração de princípios, com assinatura. Em cada 30 minutos de episódio, fica bem claro que nem todos os negros falam da mesma maneira ou se comportam como se pertencessem a uma tribo. São este tipo de preconceitos que Issa quererá desfazer nesta série, em tom jocoso. Como? A sua personagem trabalha numa escola do Sul de Los Angeles, como mentora de carreiras. Lá, os alunos são todos negros (e acham que ela não se comporta como eles) e os funcionários todos brancos (esforçam-se por falar com ela em calão, por exemplo). Resta--lhe o apoio da melhor amiga e do namorado para fazer passar a mensagem, entre risos, como se espera. TVSéries, 9 out, dom 3h30 (estreia) > qui 23h (restantes episódios)

Fargo volta ao AMC em outubro

Fargo volta ao AMC em outubro

Fargo Ele há o filme dos irmãos Cohen, realizado em 1996, e depois há a série que adaptou a história ao pequeno ecrã pela mão de Noah Hawley. E é já no próximo mês que finalmente se estreia por cá a segunda temporada com o mesmo nome do filme, Fargo. A terceira tem data marcada para o ano que vem. Embora a trama se desenrole à mesma numa pequena aldeia do Estado do Minnesota, as histórias que são contadas nestes dez episódios são outras e até há novos atores protagonistas, como Ted Danson, Kirsten Dunst e Patrick Wilson. Desta vez, este drama com laivos de humor negro situa-se em 1979, quando a vida pacífica dos habitantes desta terriola é abalada pelo assassinato de um menor, filho de mafiosos, e nada ficará como dantes. AMC, 18 out, ter 22h10

American Gothic A narrativa desenrola-se em suspense contínuo, depois de a família Hawthornes, um clã influente em Boston, descobrir que o patriarca poderia ter sido um assassino em série, já depois de ele próprio morrer. Além desses factos avançados pela polícia local, no seguimento da investigação surge ainda a suspeita de outro Hawthornes ter sido seu cúmplice durante anos. Pode imaginar-se como as constantes desconfianças que recaem sobre a maioria dos personagens ameaçam destruir a unidade familiar. Serão 13 episódios, produzidos pela Amblin Television, de Steven Spielberg, e protagonizados por Juliet Chatwin (Th Knick), Virginia Madsen (Sideways), Antony Starr (Banshee) e Justin Chatwin (Shameless). AMC, 19 out, qua 22h10

Tudo à espera da sétima temporada de Walkind Dead. Chega no final de outubro

Tudo à espera da sétima temporada de Walkind Dead. Chega no final de outubro

Walking Dead Há seis anos que Walking Dead tem vindo a colecionar fãs em todo o mundo. Sempre que uma leva de episódios acaba, são eles que dão baixa aos dias que faltam para verem os desenvolvimentos da saga fantástica. A FOX acabou recentemente com a última espera: os primeiros oito episódios da sétima temporada começam, por cá e em quase todo o mundo, a 24 de outubro. A segunda tranche será exibida a partir de fevereiro de 2017. Apesar do interregno, a série continua a ser desenvolvida por Frank Darabont e a basear-se na banda desenhada com o mesmo nome de Robert Kirkman, Tony Moore e Charlie Adlard. E os recordes não param de aparecer: a última temporada conseguiu um aumento da audiência global em 37% e é hoje, de uma forma global, a série número um da FOX. Para quem nunca viu um único episódio de Walking Dead, saiba que é protagonizado pelo ator Andrew Lincoln (Rick Grimes), um xerife que acorda de um coma prolongado e percebe que o mundo em que estava habituado a viver já não existe. Quando sai do hospital abandonado em que acorda, só encontra mortos-vivos, os sobreviventes de um apocalipse. A partir daí, está instalado o caos. FOX, 24 out, seg 22h15

The Crown Já é tradição. Em cada país a que chega, a Netflix procura os melhores produtores de conteúdos para se juntar a eles na criação de ficção exclusiva do serviço de streaming. Inglaterra não foi exceção e a prová-lo está aí The Crown, prestes a ser disponibilizado em todo o mundo. Peter Morgan escreveu este drama sobre a família real inglesa, desde que a rainha Elizabeth II tomou posse, ainda muito jovem. Sabe-se, porque ele próprio já o disse, que, durante as gravações, nunca teve contacto com qualquer membro da aristocracia britânica e que, embora pareça, o cenário não é o Palácio de Buckingham, mas uma casa senhorial no campo, nos arredores de Londres. Não admira pois que esta tenha sido a mais cara produção da Netflix e que a família real esteja em pulgas para vê-la. A atriz Claire Foy interpreta a rainha em jovem, em 1947, na data do seu casamento, quando começa a série. Apesar de faltar um mês e meio para a sua estreia, já estão previstas mais cinco temporadas, o que representa qualquer coisa como 60 episódios. Netflix, 4 nov

Savage Kingdom “Quando desenvolvemos esta série, imediatamente vimos o paralelismo entre a luta viciosa do reino animal e a batalha pelo poder do mundo ficcional de George R.R. Martin.” A frase é de Geoff Daniels, o vice-presidente executivo do canal National Geographic, e a justificação mais do que óbvia para terem ido buscar o ator Charles Dance, que faz de Tywin Lannister em Guerra dos Tronos. A voz sonante, e em tom de tragédia, é bastante adequada ao Savage Kingdom (Reino Selvagem), o programa em que se olha para os clãs rivais do mundo selvagem, enquanto lutam pela sobrevivência numa zona remota de África. As famílias protagonistas desta história são os leões, os leopardos, as hienas e os cães selvagens e cada episódio centra-se num destes animais. Filmado por Brad Bestelink em 4K, um realizador do Botswana, não será o típico documentário sobre vida selvagem – Savage Kingdom terá como que um guião selvagem, improvisado e bastante violento. Afinal, a vida animal é mesmo assim. National Geographic, 13 nov, dom