Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Território e Natureza: 7 razões para não perder o Fórum do Futuro, no Porto

Sair

Travessias é o tema do Fórum do Futuro que, de 3 a 9 de novembro, dá voz a 52 pessoas de todo o mundo, entre escritores, ativistas e atores, com o Rivoli como palco principal. Eis sete razões para não perder este festival do pensamento

A escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, eleita pela Time como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo, abre o fórum (neste domingo, 3), abordando o racismo nos dias de hoje

A escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, eleita pela Time como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo, abre o fórum (neste domingo, 3), abordando o racismo nos dias de hoje

1. Fernão de Magalhães
À sexta edição, o festival do pensamento parte dos 500 anos da primeira viagem de circum-navegação de Fernão de Magalhães, para “pensar processos de ocupação territorial e cultural, numa perspetiva historiográfica e atual”, salienta Guilherme Blanc, programador do Fórum do Futuro, juntamente com Filipa Ramos (editora da agenda de arte e-flux), o produtor Gareth Evans e o escritor britânico de ascendência ganesa John Akomfrah. O tema Travessias junta 52 convidados de 14 países, da Índia ao Sudão do Sul, da Lituânia a Singapura.

2. Chimamanda e Danny Glover
A escritora nigeriana Chimamanda Adichie (3 nov, 17h), eleita pela Time como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo, abre o fórum abordando o racismo nos dias de hoje. O ator e ativista norte-americano Danny Glover ( A Cor Púrpura ou Arma Mortífera) reflete sobre justiça social, ativismo e cidadania global (5 nov, 21h). Já o arquiteto David Adjaye encerra o festival com uma conversa sobre Identidades e Formas (9 nov, 19h).

O ator e ativista Danny Glover reflete sobre justiça social numa conferência sob a temática: Escravatura, Justiça, Reparações: A História por Fechar

O ator e ativista Danny Glover reflete sobre justiça social numa conferência sob a temática: Escravatura, Justiça, Reparações: A História por Fechar

3. Sustentabilidade
A ativista e líder indígena Sônia Guajajara e o artista brasileiro Ernesto Neto conversam sobre A luta pelo território e a destruição da Amazónia (4 nov, 21h). Destacam-se os debates de Fiesta Warinwa (5 nov, 19h), da African Wildife Foundation, acerca da conservação da vida natural em África, da escritora Christina Sharpe (6 nov, 19h), da antropóloga Elizabeth A. Povinelli (7 nov, 19h) ou da ativista ambiental indiana Vandana Shiva (7 nov, 21h).

4. Ciclo Artist Talks
O ciclo (sempre às 17h, no Rivoli) abre com o brasileiro Ernesto Neto (4 nov), defensor da arte como mediadora entre o político e o espiritual. Seguem-se o artista britânico Naeem Mohaiemen (5 nov), a brasileira Vivian Caccuri (6 nov) – lembra o regresso da febre amarela à América do Sul através da peça musical A Mão da Febre –, a artista Wu Tsang (7 nov) e a historiadora Clémentine Deliss (9 nov), que lerá o manifesto pelo direito de acesso às coleções coloniais sequestradas na Europa Ocidental.

5. Performances
Em Rant (3 nov, 19h30, Palácio dos Correios), o artista Kevin Beasley e o coréografo Ralph Lemon partem dos sons de uma descaroçadora mecânica de algodão, para refletirem sobre raça e escravidão nas plantações. O performer Calixto Neto fala da “libertação do corpo” em Oh!Rage (4 nov, 19h, Galeria Municipal). Já no Rivoli, Crystallmess cruza alienação pós-colonial, tecnologia e cultura em In Memory of Logobi (9 nov, 22h).

6. Concerto na Casa da Música
A britânica Lafawndah atua pela primeira vez no Porto, na Casa da Música (6 nov, 22h), onde apresenta o seu primeiro álbum, Ancestor Boy, cuja temática tem que ver com a questão cultural das travessias.

7. Museu de Serralves
Pela primeira vez, o Fórum do Futuro ocupa o Museu de Serralves durante um dia (8 nov) com a exposição-performance da húngara Eszter Salamon (12h-18h, repete dia 9) e duas conversas. A artista e escritora Cuco Fusco (19h) fala sobre os confrontos entre a comunidade artística e o Governo de Cuba, que a impediu de entrar no país antes da abertura da Bienal de Havana, e o artista Arthur Jafa (Leão de Ouro na Bienal de Veneza) conversa com Philippe Vergne, diretor do Museu de Serralves, sobre a produção cultural negra (21h).

A performance Rant junta o artista Kevin Beasley ao coréografo Ralph Lemon numa reflexão sobre raça e escravidão nas plantações de algodão

A performance Rant junta o artista Kevin Beasley ao coréografo Ralph Lemon numa reflexão sobre raça e escravidão nas plantações de algodão

Fórum do Futuro > Rivoli Teatro Municipal, Galeria Municipal do Porto, Casa da Música, Museu de Serralves, Cinema Trindade > 3-9 nov > grátis (mediante levantamento de bilhete no dia e no local da sessão)