Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Lisboa na Rua: Um mês inteiro ao fresco

Sair

Em setembro, o Lisboa na Rua regressa aos jardins, largos e ruas da cidade, com várias propostas grátis, em que a música, a dança, a literatura e o cinema vão estar em destaque. Em sete pontos, saiba o que não deve perder

Alexandre Paulo

Mariana Rodrigues

1.
Bibliófilo

É uma novidade na edição deste ano do Lisboa na Rua, organizado pela EGEAC, a Empresa Municipal de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural. Uma biblioteca ao ar livre no jardim do Museu de Lisboa – Palácio de Pimenta, no Campo Grande, a funcionar nos fins de semana de setembro, com um quiosque de livros raros ou esgotados para venda. Aos domingos, haverá duas sessões de leitura: às 11h, para crianças; às 18h, para adultos, com o jornalista Nuno Miguel Guedes, que levará três convidados para ler e um músico.

2.
Aulas de dança

Os domingos são reservados para Dançar a Cidade, com aulas abertas de diferentes ritmos, às 18h, em praças e jardins. Tome nota: kuduro e afro-house, no Jardim da Amnistia (8 set); dança do ventre e Bollywood, no Jardim da Cerca da Graça (15 set); flamenco e sevilhanas, na Praça Tenente Evangelista Rodrigues (22 set); e tango e milongas, no renovado Rossio da Palma (29 set), em S. Domingos de Benfica.

3.
Real Combo Lisbonense

No dia 7 de setembro, a partir das 21h30, o Real Combo Lisbonense sobe ao coreto do Jardim da Estrela para um concerto, recriando o espírito das orquestras e dos conjuntos de baile dos anos 50 e 60, que animavam bares, restaurantes, hotéis, casinos e festas. O alinhamento é eclético e inclui clássicos da música portuguesa, para relembrar as origens da pop em Portugal.

4. CineCidade
O Jardim Zoológico é o cenário escolhido para as sessões de cinema ao ar livre. A 4ª edição do CineCidade acontece todas as sextas, às 21h, e inclui clássicos do cinema de aventura americano, dos anos 1930 a 2000. O filme de animação UP – Altamente passa no dia 6, seguindo-se O Feiticeiro de Oz, de Victor Fleming (13), Indiana Jones e Os Salteadores da Arca Perdida, de Steven Spielberg (20), e, do mesmo realizador, Parque Jurássico (27). Levantamento dos bilhetes: seg-qua 9h30-19h (máximo 4 bilhetes).

Mariana Rodrigues

5. Noites de fado
Este ano, o fado faz-se ouvir nos jardins da cidade, sempre à quinta-feira, às 21h30, pela voz de quatro fadistas que ali apresentam os seus mais recentes trabalhos. Maria Ana Bobone inaugura, a 5 de setembro, o ciclo Sou do Fado, no Jardim do Torel. Duarte apresenta o seu novo disco, Só a Cantar, a 12, no Jardim Vasco da Gama, seguindo-se, a 19, Hélder Moutinho, no Jardim da Quinta das Conchas. O último espetáculo, a 26 de setembro, é de Cristina Branco, que leva o seu mais recente trabalho, Branco, ao Parque dos Moinhos de Santana.

6. Encontros de Jazz Júnior
A Escola de Jazz Luiz Villas-Boas e o Hot Clube de Portugal organizam quatro concertos com os seus alunos a tocarem como gente grande, desde arranjos clássicos, como I Got Rhythm, dos irmãos Gershwin, a adaptações de temas do chamado free jazz e, ainda, alguns originais. Será no jardim do Museu de Lisboa – Palácio Pimenta, aos sábados, às 18h.

7. Orquestra Gulbenkian
É já um ritual deste Lisboa na Rua: sentar no relvado do parque do Vale do Silêncio, nos Olivais, e assistir à Orquestra Gulbenkian a tocar ao vivo. Este ano, o maestro Nuno Coelho dirige o espetáculo Amor no Vale, no dia 14, às 21h30, que reúne algumas das árias de ópera mais conhecidas que têm em comum a temática do amor.