Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Durante dois dias, vai ser possível conhecer alguns dos jardins e parques privados de Lisboa

Sair

Alguns dos jardins de Lisboa – a maioria, privados – um parque vinícola e 20 campos hortícolas, abrem este sábado e domingo, dias 26 e 27, com várias atividades e, até, um piquenique ecológico. Bem-vindos ao Jardins Abertos

O jardim do Palácio de Belém, residência oficial do Presidente da República, está aberto a visitas livres e será palco de oficinas pedagógicas para crianças

O jardim do Palácio de Belém, residência oficial do Presidente da República, está aberto a visitas livres e será palco de oficinas pedagógicas para crianças

Luís Barra

O festival Jardins Abertos é mais do que uma oportunidade para visitar lugares desconhecidos e, alguns, até secretos de Lisboa. É uma ocasião para refletir sobre a importância da preservação do ambiente urbano que nos rodeia, percebendo “como é que o cidadão comum pode participar na construção ativa do espaço público”, sublinha Tomás Tojo, do projeto social Lisboa Jardins Abertos.

Depois da edição zero no ano passado, o festival mais do que duplicou o número de jardins abertos (de 10 cresceu para 23, este ano) promovendo, desta vez, três tipos de visitas gratuitas: de formato livre, acompanhada e guiada (apenas esta necessitará de reserva prévia).

Jardim do Palácio do Beáu Sejour, em Benfica

Jardim do Palácio do Beáu Sejour, em Benfica

O festival convida-nos a entrar (e a conhecer) jardins como o da Estufa Fria, o Jardim Botânico da Ajuda, o Jardim das Damas, o Jardim da Estrela, os Jardins do Palácio de Belém, o Jardim da Gulbenkian, o Jardim do Grémio Literário, o Jardim do Beco do Monte, entre outros, além do Parque Vinícola de Lisboa e de outros 20 parques hortícolas que fazem da cidade “uma das maiores manchas comestíveis da Europa”, lembra Tomás Tojo. No mapa de jardins abertos estão, por exemplo, o da Quinta das Pintoras, em Marvila, uma das quintas privadas que abrirá ao público, pela primeira vez, em 100 anos, e o do Palácio Beáu Sejour, em Benfica.

Ioga, oficinas e um piquenique

Outra novidade deste ano é a organização de uma série de atividades pensadas para toda a família, ao longo dos dois dias (algumas implicam reserva prévia no site do Jardins Abertos ). É o caso de workshops sobre reciclagem de flores, redução de desperdício, tinturaria natural ou conversas acerca da sustentabilidade ambiental e do consumo consciente. Para as crianças, há visitas guiadas, oficinas pedagógicas, workshops de criação de kokedamas (esferas de musgo japonesas), de madeiras e de alimentação saudável, além de sessões de cinema.

Uma mostra de design no jardim dos buchos do Museu da Cidade – Palácio Pimenta (26 mai, 10h-17h) apresentará diferentes conceções de objetos utilitários, em parceria com a Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha. O Jardins Abertos promove ainda uma aula de ioga no Jardim da Estrela (27 mai, dom 9h-10h15), sessões de cinema no Centro de Inovação da Mouraria e no Centro de Interpretação da Estufa Fria, e, claro, um eco picnic no Jardim das Damas (26 mai, 17h-22h) em que se convida o público a levar de casa talheres e guardanapos de pano, de modo a que se faça o menor lixo possível.

A festa de encerramento deste festival será no domingo, 27, no Jardim da Cerca da Graça (17h-22h), com música de vários Dj e um mercado de trocas, debaixo de uma estrutura verde efémera criada pelo Estúdio Jaca.

A estufa fria, em Lisboa

A estufa fria, em Lisboa

Luís Barra

Jardins Abertos > 26-27 mai, sáb-dom > grátis