Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Na Foz do Porto a tradição ainda é o que era (e ainda bem!)

Sair

A zona mais nobre do Porto continua a guardar tradições antigas. Na Foz, onde o Douro desagua no Atlântico, ainda se vai aos lugares de sempre, ao mesmo tempo que surgem novidades, como lhe contamos no tema de capa da Visão Se7e esta quinta-feira, dia 17, nas bancas

À Padaria Formosa, uma das mais antigas do Porto (1898), na rua de Gondarém, ainda se vai comprar pão. Há 45 variedades, entre broa de milho, bijou, pão de muesli, com frutos secos e mel, de passas e nozes ou regueifa (especialmente aos sábados)
1 / 8

À Padaria Formosa, uma das mais antigas do Porto (1898), na rua de Gondarém, ainda se vai comprar pão. Há 45 variedades, entre broa de milho, bijou, pão de muesli, com frutos secos e mel, de passas e nozes ou regueifa (especialmente aos sábados)

Lucilia Monteiro

Os queques do Moreira tornaram-se nos bolos mais conhecidos do Café Moreira (R. Senhora da Luz, 306), um dos lugares escolhidos por Eugénio de Andrade para almoçar. Feitos por Maria Lúcia há mais de 40 anos, a partir de uma receita antiga, levam ovos caseiros, farinha, açúcar, manteiga, leite “e muito carinho”, diz a cozinheira
2 / 8

Os queques do Moreira tornaram-se nos bolos mais conhecidos do Café Moreira (R. Senhora da Luz, 306), um dos lugares escolhidos por Eugénio de Andrade para almoçar. Feitos por Maria Lúcia há mais de 40 anos, a partir de uma receita antiga, levam ovos caseiros, farinha, açúcar, manteiga, leite “e muito carinho”, diz a cozinheira

Lucilia Monteiro

Domingos Almeida, 78 anos, é um dos últimos agricultores da Foz, onde nasceu e tem um terreno de cultivo, em Nevogilde. Há mais de 20 anos que vende legumes, pelas ruas do bairro, numa carroça puxada por um cavalo. O Castelo foi o seu “grande companheiro” durante décadas, mas, depois de ter morrido no ano passado, é agora o novo Rafa quem o acompanha. “Este é um bocadinho nervoso. Eu gosto do Boavista, mas ele é do Benfica”, brinca
3 / 8

Domingos Almeida, 78 anos, é um dos últimos agricultores da Foz, onde nasceu e tem um terreno de cultivo, em Nevogilde. Há mais de 20 anos que vende legumes, pelas ruas do bairro, numa carroça puxada por um cavalo. O Castelo foi o seu “grande companheiro” durante décadas, mas, depois de ter morrido no ano passado, é agora o novo Rafa quem o acompanha. “Este é um bocadinho nervoso. Eu gosto do Boavista, mas ele é do Benfica”, brinca

Lucília Monteiro

Todos os dias saem cerca de 15 tabuleiros com croissants na Doce Mar, a confeitaria situada na Avenida do Brasil, 519, em frente à praia de Gondarém. Há quem os prefira comer quentinhos quando saem do forno logo de manhã cedo e a partir das 16 horas, bem a tempo do lanche
4 / 8

Todos os dias saem cerca de 15 tabuleiros com croissants na Doce Mar, a confeitaria situada na Avenida do Brasil, 519, em frente à praia de Gondarém. Há quem os prefira comer quentinhos quando saem do forno logo de manhã cedo e a partir das 16 horas, bem a tempo do lanche

Lucilia Monteiro

Álvaro Silva e a irmã, Carla, dão continuidade à gestão da D.Urraca, a discoteca fundada pelo pai e a mais antiga do Porto (nasceu em 1967). O espaço mítico das noites da Foz abre, agora, as portas para festas privadas (a partir 35 pessoas) com jantar incluído
5 / 8

Álvaro Silva e a irmã, Carla, dão continuidade à gestão da D.Urraca, a discoteca fundada pelo pai e a mais antiga do Porto (nasceu em 1967). O espaço mítico das noites da Foz abre, agora, as portas para festas privadas (a partir 35 pessoas) com jantar incluído

Lucilia Monteiro

A antiga Farmácia Campos (1885), na rua Padre Luís Cabral, na Foz Velha, continua na mesma família e merece uma visita. Só para ver os armários antigos e a antiga porta, onde os clientes aguardam que se lhes avie a receita
6 / 8

A antiga Farmácia Campos (1885), na rua Padre Luís Cabral, na Foz Velha, continua na mesma família e merece uma visita. Só para ver os armários antigos e a antiga porta, onde os clientes aguardam que se lhes avie a receita

Lucilia Monteiro

Bruno Martins, 41 anos, pescador há mais de duas décadas, chega com peixe fresco à Cantareira de manhã bem cedo. "Hoje só vieram robalos", conta-nos, já depois de ter vendido todo o peixe ali mesmo
7 / 8

Bruno Martins, 41 anos, pescador há mais de duas décadas, chega com peixe fresco à Cantareira de manhã bem cedo. "Hoje só vieram robalos", conta-nos, já depois de ter vendido todo o peixe ali mesmo

Lucilia Monteiro

No Jardim do Passeio Alegre, até as casas de banho merecem uma visita. Construídas em 1910, com entrada separada para homens de um lado, mulheres do outro, têm as paredes e chão decorados com azulejo e mosaicos estilo arte nova
8 / 8

No Jardim do Passeio Alegre, até as casas de banho merecem uma visita. Construídas em 1910, com entrada separada para homens de um lado, mulheres do outro, têm as paredes e chão decorados com azulejo e mosaicos estilo arte nova

Lucilia Monteiro