Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Barracuda, um clube para quem gosta de rock

Sair

O edifício onde está o gigante painel de azulejo de Miguel Januário tem um novo inquilino e uma banda sonora alternativa

Além da agenda regular de concertos de bandas e DJ's, a programação inclui noites de trap, com Serial (ex-Mind da Gap) às quintas

Além da agenda regular de concertos de bandas e DJ's, a programação inclui noites de trap, com Serial (ex-Mind da Gap) às quintas

Lucilia Monteiro

O Barracuda é o clube de rock que acaba de abrir na Rua da Madeira, de olhos postos na Estação de São Bento. Ocupa o número 186, onde, até há pouco tempo, funcionou o Traçadinho, o bar que estava separado da discoteca Gare apenas por uma porta entreaberta. Continua a ser uma espécie de túnel, com azulejos nas paredes, pista de dança e um bar pintado de vermelho, agora mais próximo da porta de entrada, tal como a cabina dos DJ. O Barracuda – que é ao mesmo tempo um modelo de guitarra e um carro clássico da Plymouth – é, antes de mais, um clube para quem gosta de rock. “Estou a fazer uma coisa para 
as pessoas do Porto, que gostam desta onda atual, mas 
a soar a antigo”, diz Rodas, como é conhecido Paulo Pereira, o mentor desta renovação e um dos sócios 
do extinto Cave 45, outro dos lugares do Porto com boa música alternativa. Há ainda um pequeno palco para concertos, por onde vão passar bandas como The Ministerios 
(20 abr), Wild Roccoon (27 abr) e Capitão Fantasma (28 jul).

O novo inquilino do velho edifício, que exibe na fachada o gigante painel de azulejo Quem és Porto?, de Miguel Januário, quer dar “uma vida própria e independente” 
a um bar para quem gosta de rock, mas onde também cabem outros géneros musicais, como o hip hop.

Barracuda > R. da Madeira, 186, Porto > qui-sáb 22h30-6h