Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

O Gosto dos Outros... Paulo Morais

Sair

Entre mercados, citrinos raros e memórias de infância se fazem as escolhas do chefe que assumiu o restaurante Kanazawa, em Lisboa

Luís Barra

1. Mercado dos Lavradores, Madeira

Sempre que é convidado para participar no festival Rota das Estrelas, pelo chefe Benoît Sinthon, do IL Gallo d’Oro, o restaurante do hotel The Cliff Bay, no Funchal, faz uma visita ao Mercado dos Lavradores. “É incrível não só pela variedade e qualidade dos produtos, mas também pelo fervilhar de pessoas que por ali circulam”, descreve.

2. Kinkaku-ji, Quioto

Em Quioto, “provavelmente a cidade mais bonita do Japão”, Paulo Morais destaca o Kinkaku-ji, ou Templo do Pavilhão Dourado. “De todos os templos que visitei, é o mais sereno e imponente.” E recorda ainda os estágios que fez de cozinha japonesa.

3. Ponte Romana, Murça

As suas melhores memórias de infância são de Murça, terra dos avós maternos. Nesta vila do distrito de Vila Real, a Ponte Romana, sobre o rio Tinhela, “era uma espécie de paraíso para mim e para os meus primos”.

4. Mercado Damnoen Saduak, Tailândia

Ali amontoam-se centenas de barcos de comerciantes que aliciam os visitantes com todo o tipo de produtos e comidas. “Apesar de ser um mercado cada vez mais virado para os turistas, não deixa de ser um lugar diferente e peculiar”, diz Paulo Morais. “Comi a melhor sopa picante da minha vida”, recorda.

5. Lugar do Olhar Feliz, quinta no Cercal do Alentejo

O chefe estaca a qualidade dos citrinos ali produzidos. E ainda “a paixão, sabedoria e dedicação” do casal francês Jean-Paul e Ann Brigand, os proprietários. “Estou sempre a aprender com eles”

6. Central Fish Market de Osaka, Japão

Aqui, sentiu-se tão feliz como uma criança numa loja de doces. “A cereja no topo do bolo foi comer sushi às cinco horas da manhã...”