Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Vamos a Setúbal dar uma volta? 17 sítios que vale a pena conhecer na cidade

Sair

  • 333

Além do peixe assado e do choco frito, dos golfinhos e das praias de águas cristalinas, a cidade de Setúbal descobre-se agora noutros tons e sabores. Uma viagem pelas suas ruas, à procura do que há de novo e também dos valores-seguros de sempre

O Moscatel de Setúbal Experience foi o primeiro projeto de Vasco Alves, chefe de cozinha natural de Cascais, que aqui serve iguarias como pastel de bacalhau e bifana, preparadas com vinho licoroso

O Moscatel de Setúbal Experience foi o primeiro projeto de Vasco Alves, chefe de cozinha natural de Cascais, que aqui serve iguarias como pastel de bacalhau e bifana, preparadas com vinho licoroso

Mário João

Quando Horácio Cipriano abriu o restaurante Casa Morena, só existiam tabernas no Largo da Fonte Nova (agora Praça Machado dos Santos). Na altura, em 1982, esta zona de Setúbal, no centro histórico, era sobretudo habitada por pescadores, que assavam o peixe fresco trazido da faina em fogareiros de rua. “Fui o primeiro a servir refeições aqui, os outros só vieram depois”, explica o senhor Horácio. 
O largo tem agora mais dois restaurantes, todos com esplanadas protegidas pela sombra das árvores. E um fogareiro comunitário, onde cada um prepara as suas doses de peixe assado. Aos 73 anos, tem orgulho no negócio que criou no bairro do Troino, um dos mais típicos de Setúbal, a par das Fontainhas, na outra ponta da cidade.
Foi precisamente o caráter deste bairro que cativou o casal Daniela Freire, 31 anos, e Ricardo Lemos, 42, os responsáveis pela Casa da Travessa, a poucos passos do restaurante do senhor Horácio. Ela é arquiteta, ele, engenheiro naval. O projeto deste alojamento local esteve adormecido durante algum tempo, mas acabou por tomar corpo em setembro de 2016, quando recebeu os primeiros hóspedes. “Setúbal tem imenso potencial e só agora é que as pessoas estão a ter consciência disso. Ninguém queria viver no centro histórico, preferiam casas novas. Para mim, que vivi vários anos fora do País, esta localização é excelente, está-se perto de tudo, sem ser preciso mexer no carro”, diz Daniela.

Há 40 anos que Henrique João trabalha na zona de peixe do Mercado do Livramento, considerado pelo jornal USA Today como um dos melhores do mundo

Há 40 anos que Henrique João trabalha na zona de peixe do Mercado do Livramento, considerado pelo jornal USA Today como um dos melhores do mundo

Mário João

Na rua, o edifício da Casa da Travessa, reabilitado e pintado de um verde suave, destaca-se do resto do casario. O novo projeto do bairro tem dois apartamentos T1, luminosos e com pequenas zonas exteriores. “Criámos um espaço minimalista, à nossa imagem, mas confortável e elegante. Queremos que as pessoas se sintam em casa”, conta Daniela. Quanto aos hóspedes, continua, “gostam da vida do bairro, dos vizinhos e da facilidade com que chegam a pé a todo o lado.” A Casa da Travessa está situada a poucos passos da Luísa Todi, a avenida mais concorrida da cidade, onde também fica o Mercado do Livramento. Considerado pelo jornal USA Today como um dos melhores do mundo, transformou-se rapidamente num ponto turístico. Henrique João, 57 anos, trabalha há 40 na zona do peixe do mercado. Cherne, atum, carapau, rascasso, aqui há de tudo. “Os turistas não vêm cá comprar peixe. Levam um ou outro produto regional ou, então, consomem no café, o que também é bom”, afirma.

Duas guesthouses
Num outro largo, paralelo à Avenida Luísa 
Todi, mas do lado contrário ao mercado, está outra das novidades de Setúbal: o hostel 
De Pedra e Sal. Abriu em março e veio juntar-se ao restaurante com o mesmo nome, inaugurado no ano passado, por Vasco Alves e Rui Antunes. Chefe de cozinha e natural de Cascais, Vasco Alves veio morar para Setúbal por motivos profissionais e, assim que percorreu as ruas da Baixa, percebeu o potencial que se escondia nos edifícios abandonados. Começou com o Moscatel de Setúbal Experience, uma “caixa” de nove metros quadrados no Largo do Bocage, e a servir iguarias, como pastel de bacalhau e bifana, preparadas com o vinho licoroso. “Sai tudo bem, mas as marmitas, que são servidas nestes recipientes antigos, são um êxito”, revela Vasco.
Já no restaurante De Pedra e Sal, Vasco Alves optou por uma oferta diferente, com base na carne (embora também haja peixe). Pôs a cozinha na montra e comprou um Josper, o forno topo de gama onde tudo é preparado a carvão. “Era preciso dar alguma autenticidade ao negócio e também à cidade”, considera.

Da cozinha do restaurante De Pedra e Sal saem bifes, bacalhau e o Pedra e Sal, a especialidade da casa que combina bife maturado, choco frito e ostra

Da cozinha do restaurante De Pedra e Sal saem bifes, bacalhau e o Pedra e Sal, a especialidade da casa que combina bife maturado, choco frito e ostra

Mário João

A uma curta caminhada, estão duas guesthouses, que abriram portas no ano passado. São projetos distintos e, por isso, para clientes com gostos diferentes. A RM Guesthouse distingue-se pela decoração. Possui sete suítes, ambientes inspirados em grandes marcas da moda internacional, e zonas comuns, com objetos originais como um porco amarelo, junto à receção, ou um cão cor-de-rosa, à varanda. Por sua vez, a Rio Art Guesthouse convidou a artista plástica Ana Curto a inspirar-se em Setúbal, no rio Sado ou nos ícones da cidade. “É uma sociedade familiar”, diz Mário Ferro, um dos responsáveis pelo Rio Art, que se instalou em novembro passado num prédio antigo, propriedade da família, transformando-o em 23 quartos, a maior parte com vista para a avenida. “Percebe-se que há um esforço para pôr Setúbal no mapa. Nós não tínhamos experiência no ramo, quisemos apenas aproveitar um património que já era nosso, muito bem localizado”, explica Mário Ferro.

A ex-professora Maria João Frade abriu a Casa da Avenida, uma galeria cuja programação regular inclui atividades para os mais novos

A ex-professora Maria João Frade abriu a Casa da Avenida, uma galeria cuja programação regular inclui atividades para os mais novos

Mário João

Como é a pé que se descobrem as entranhas de uma cidade, Setúbal não foge à regra. Relativamente plana, também pode ser percorrida de bicicleta. Bom, bom, é poupar forças para pedalar à beira-rio ou dar um mergulho numa das praias da região 
– Galapinhos, por exemplo. Entre ruelas e travessas, encontram-se largos de cara lavada, mas também novos polos a merecer visita. A Casa da Cultura é um deles. Ponto de encontro da cidade, tem um bar/cafetaria, salas de ensaio e estúdio, livraria e um centro de documentação ligado à canção de intervenção. Não muito longe, está a discreta Casa da Avenida. O projeto tem a mão e o empenho de Maria João Frade, uma ex-professora de 
64 anos que, em junho de 2011, rumou contra a maré e abriu as portas a uma galeria, em dois dos andares do prédio onde reside. “Ficámos com a Casa cheia de gente. As pessoas estavam ávidas por uma coisa como esta”, conta. Hoje, é uma das referências culturais da cidade, aberta a tudo o que tenha a ver com artes, concertos, encontros literários, performances. “Aqui tudo tem o seu lugar. É uma casa para todos”, sustenta Maria João, que já acolheu, por exemplo, a mostra de documentário Práticas do Lugar, uma das iniciativas da Óbvia 
– Associação Cultural.

Raquel Mendes abriu com Carlos Santos a Óbvia, associação cultural que quer chamar artistas para a cidade

Raquel Mendes abriu com Carlos Santos a Óbvia, associação cultural que quer chamar artistas para a cidade

Mario Joao

Residências artísticas
Raquel Mendes e Carlos Santos, ligados à fotografia e às artes plásticas, são setubalenses e os mentores da Óbvia. Com apenas um par de anos e financiada por capital próprio, a associação atua na área das artes com, digamos, um pé na Antropologia. “Queremos fazer a ponte entre estes dois agentes, chamando artistas para a cidade. Dar-lhes a oportunidade de conhecer as gentes e as tradições, criando uma reflexão sobre essas vivências”, explicam. No passado mês de abril, abriram um concurso para residências artísticas, com início marcado para outubro. E, em apenas um mês, as vagas esgotaram. Os eleitos vão ter o privilégio de ficar na casa – e de trabalhar no estúdio, que também foi restaurado – que a Óbvia recuperou no centro histórico.
À procura de artistas, neste caso fotógrafos, de amantes ou de curiosos da fotografia, estão também Cláudia Freitas e Paulo Figueiredo, da Photo Experience Setúbal. A funcionar desde abril, o café/galeria da Avenida Luísa Todi, dedica-se em exclusivo à promoção da fotografia de autor. “O nosso objetivo é tornar a fotografia acessível a todos”, justificam. Na galeria, têm em exposição trabalhos de Sara Matos, Pedro Elias, Paulo Figueiredo e Cláudia Freitas. E, na cafetaria, para aconchegar o estômago, pratos como risoto de limão ou crumble de maçã.

Um dos núcleos do Museu do Trabalho Michel Giacometti é composto pela Mercearia Liberdade, para aqui transferida de Lisboa

Um dos núcleos do Museu do Trabalho Michel Giacometti é composto pela Mercearia Liberdade, para aqui transferida de Lisboa

Mario Joao

Se, durante um passeio por Setúbal, o leitor passar por algum edifício pintado num tom mais forte, é muito provável que esteja à porta da Casa da Baía (pintada de azul) ou, então, do Museu do Trabalho Michel Giacometti, que, depois de vários meses de obras, se vestiu rosa-forte. A Casa da Baía não é só um posto de informação turística, trata-se também de um recanto escondido de Setúbal (reabriu há um ano). Funciona como café, loja de produtos regionais (casca de laranja cristalizada, barquilhos e vinhos de vários produtores), com um pátio ao ar livre e um núcleo museológico visível através do chão de vidro da esplanada.
Já o Museu do Trabalho Michel Giacometti, que ainda aguarda a abertura de um restaurante no piso superior, renovou o seu projeto museológico, sobre a indústria conserveira e uma parte do legado do etnomusicólogo Michel Giacometti. Ali bem próximo, fica ainda a Casa Bocage, com um nova exposição permanente sobre o poeta setubalense. Por fim, para gravar na memória as melhores imagens da cidade, vale a pena espreitá-la a partir do miradouro de S. Sebastião, da esplanada do Forte de S. Filipe ou do bar Roof 61, no topo do Fórum Municipal Luísa Todi. Fica-se sem fôlego.

Moscatel de 
Setúbal Experience
Esplanada com várias zonas de estar e comer, com bancos, cadeiras de lona e mesas a condizer. 
Os gelados artesanais têm sabores de maçã riscadinha ou laranja de Palmela.
Pç. do Bocage, 49, Setúbal > seg-dom 9h30-1h

Casa Morena
O peixe assado (dourada, sardinha, carapau, choco, robalo ou massacote) é a especialidade da casa. Para quem prefere carne, há lombo de porco grelhado.
Pç. Machado dos Santos, 18, Setúbal > T. 265 221 491, 
96 511 7072 > ter-dom 12h-16h

Casa da Travessa
Os responsáveis, Daniela e Ricardo, fazem questão de receber todos os hóspedes com mimos, como chá e biscoitos, fruta da época, uma garrafa de vinho da região ou um cálice de moscatel.
Tv. Álvaro Anes, 21, Setúbal > T. 96 659 2788, 96 203 5492 > 
a partir de €60

Forte de S. Filipe
Reabriu ao público em março último, depois de ter estado encerrado por perigo de derrocada. É possível visitar a capela. Possui uma cafetaria com várias salas interiores (é de explorar mesmo) e uma esplanada com vista sobre a cidade.
Av. Luísa Todi, 268, Setúbal > T. 91 703 8187 > qua-sex, dom 14h-19h, dom 11h-19h

Óbvia – Associação Cultural
Pç. Almirante Reis, 27, Setúbal > T. 93 858 4766

Casa da Baía
Apresentações de livros, palestras e colóquios.
Av. Luísa Todi, 468, Setúbal > T. 265 545 010 > seg-qua 9h-22h, qui-sáb 9h-24h, dom 9h-22h

RM Guesthouse
R. Padre Joaquim Silvestre Serrão, 8, Setúbal > T. 265 400 119 > a partir de €90

Rio Art Guesthouse
Brevemente, vai passar a hotel e a entrada também será feita pela Avenida Luísa Todi.
R. Cláudio Lagrange, 8, Setúbal > T. 265 249 600 > a partir de €76

De Pedra e Sal
Hostel & Suites
Lg. Dr. Francisco Soveral, 10, Setúbal > T. 265 418 353 > a partir de €20 (cama), €40 (quarto)

De Pedra e Sal Restaurante
Lg. Dr. Francisco Soveral, 10, Setúbal > T. 265 418 353 > seg-dom 12h30-15h, 19h30-23h

Mercado 
do Livramento
No edifício art déco, destacam-se os painéis de azulejos do interior, com cenas como o transporte do sal, a reparação das redes, a salga do peixe ou a vindima.
Av. Luísa Todi, 157, Setúbal > ter-dom 7h-14h

Photo Experience
Cláudia Freitas e Paulo Figueiredo têm planos para aumentar o projeto e assim vir a ocupar um outro piso do edifício. Em julho, vão dar início aos passeios fotográficos, que podem ser complementados com um workshop de produção de um pequeno livro de fotografia.
Av. Luísa Todi, 253, Setúbal > T. 265 099 020 > ter-qui, dom 10h-19h, sex-sáb 10h-24h

Casa Da Avenida
A programação regular também inclui atividades para os mais novos.
Av. Luísa Todi, 268, Setúbal > T. 91 703 8187 > qua-sex, dom 14h-19h, dom 11h-19h

Museu do Trabalho Michel Giacometti
Desde 1995 que funciona na antiga fábrica de conservas de peixe Perienes. Um dos núcleos do museu é composto pela Mercearia Liberdade, para aqui transferida integralmente de Lisboa.
Lg. dos Defensores da República, Setúbal > T. 265 537 880 > ter-sex 9h30-18h, sáb 15h-19h (1 jun-15 set), ter-sex 9h30-18h, sáb-dom 14h-18h (16 set-31 mai) > €1,50

Casa da Cultura
R. Detrás da Guarda, 26-34, Setúbal > 
T. 265 236 168 > ter-qui 10h- 24h, sex-sáb 10h-1h, dom 10h-20h

Casa Bocage
O primeiro piso alberga o espólio de Américo Ribeiro, que documentou em imagens a cidade de Setúbal no século XX, assim como alguns objetos pessoais ligados à fotografia.
R. Edmond Bartissol, 12, Setúbal > T. 265 229 255 > ter-sex 9h-12h30, 14h-17h30, sáb 14h-18h > €1,50

Roof 61
Vale a subida ao sexto andar, pela panorâmica sobre o Sado. Para acompanhar a vista, gins, cocktails e Moscatel.
Fórum Municipal Luísa Todi, Av. Luísa Todi, 61, 6º, Setúbal > T. 265 533 144 > ter-qui 14h-24h, sex-sáb até 2h, dom 14h-20h

Calendário

Festa da Ilustração 2017
vários locais de Setúbal > 
até 30 jun

Festival 
da Sardinha
vários restaurantes, Setúbal > 
Até 9 jul

Sunsets musicais
Ruínas Romanas de Troia > sempre às quartas-feiras de 15 jul-31 ago > qua 18h > grátis

Festival 
do Carapau Manteiga
vários restaurantes, Setúbal > 
21 jul-6 ago

Feira de Sant’Iago
Parque Sant’Iago, Manteigadas, Setúbal > 
22 jul-5 ago

Noites de Astronomia
Ruínas Romanas de Troia > quatro sessões em agosto (sem data definida)

Marisco 
no Largo
Parque José Afonso, Setúbal > 10-20 ago

Festival do Salmonete
vários restaurantes, Setúbal > 
22 set-8 out

Do sexto andar do Roof 61 tem-se uma das melhores vistas sobre o Sado

Do sexto andar do Roof 61 tem-se uma das melhores vistas sobre o Sado

Mario Joao