Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

A galinha tem ovo

Sair

Crónica Por Lisboa

Rosa Ruela

Rosa Ruela

Jornalista

Para quem já anda nesta vidinha há uns tempos, a Rua Actor Taborda é sinónimo de porno em sessões contínuas no Cinebolso. E elas mantêm-
-se, agora a seis euros o dia, mas não é esse o tema desta croniqueta (mesmo com o ovo do título, a lembrar o escândalo que foi a RTP2 ter exibido, em 1991, o filme O Império dos Sentidos, de Nagisa Oshima). Se voltamos a esta rua hoje é por causa da montra da loja de animais Correia & Serpa.

Quando já não havia bandos de perus em Lisboa à espera de serem comprados, mortos e cozinhados na Consoada, ainda encontrávamos galináceos de todos os géneros no número 3 da Actor Taborda. Era aí ou então num aviário que existia por baixo do Hotel Mundial ou numa lojinha na Rua do Arsenal. Tinha-se um vislumbre do campo na cidade, que bom.

Isso ainda acontece na loja do sr. Armando, um homem de mão rápida para apanhar pássaros e uma rara lisura elogiada nos fóruns da internet. Há 53 anos que a sua especialidade são as aves de bico curvo (papagaios, periquitos e quejandos), mas, por estes dias, lá estavam na montra da Correia & Serpa três galinhas poedeiras, encomenda de uma cliente decidida a ensinar aos netos de onde vêm os ovos.

Melhor que isto só o Carnaval da Vitória, o porco que ouve rádio numa varanda em Quem Me Dera Ser Onda, do angolano Manuel Rui.