Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Amoreiras radical – ou como é começar uma manhã de fim de semana a fazer rappel na Torre 1

Sair

Filipa Martha Couto (texto) e André Moreira (vídeo)

Começar o dia a descer os 19 andares da Torre 1 do Amoreiras Shopping Center pode não parecer difícil. Mas se a descida for pelo lado de fora... já parece mais complicado, não? A VISÃO Se7e aceitou o desafio e foi conhecer uma das melhores vistas da cidade de Lisboa. De forma radical: fizemos rappel na Torre 1

Filipa Martha Couto (texto) e André Moreira (vídeo)

São 45 metros, sempre a descer em rappel, pendurados apenas por uma corda, mais outra de segurança.

A primeira sensação assusta, pensa-se em desistir, mas oportunidades destas não aparecem todos os dias e, com algum medo e muita coragem, atravessa-se a borda do edifício, esticam-se as pernas e assume-se a posição correta, como se se estivesse sentado no ar. A partir daqui, já não há volta a dar, a partir de agora só dá para descer. Sim, estamos pendurados – literalmente – na Torre 1 do Amoreiras Shopping Center a fazer rappel.

Olhar para baixo logo à primeira não é aconselhável, uma simples espreitadela dá logo uma volta à barriga. Respira-se fundo, fecham-se os olhos e "bora lá". O mais importante é confiar, no material e em quem está a fazer a segurança. A medo, começa-se a dar corda, e vamos ficando suspensos no ar.

Com algum receio, pode tentar-se olhar à volta. A vista é fantástica! Toda a cidade, Lisboa aos nossos pés, mete respeito e, ao mesmo tempo, conforta o olhar. Vistas destas não se têm todos os dias. O rio Tejo ao fundo, os prédios em ponto pequeno entre alguns edifícios mais altos, é inacreditável.

A adrenalina de se estar pendurada por uma corda, num dos edifícios emblemáticos da cidade, transmite-nos logo uma sensação de felicidade. Conforme se vai descendo, o medo vai passando e torna-se cada vez mais fácil olhar para o que nos rodeia. Os carros e as pessoas continuam a passar lá em baixo, dá vontade de dizer adeus a quem passa, mas não se deve soltar a corda (solta-se a euforia com os gritos habituais de quem faz algo radical).

Ao ver o chão cada vez mais próximo, percebe-se que aquilo que mais assusta ao principio, afinal, está tão próximo. Foi tão rápido descer os 19 andares que nos causaram calafrios no inicio. Chegámos, pés assentes na terra e uma recordação para sempre. Mais um check no livro desta nossa vida, venha o próximo desafio... radical.


Esta é uma das atividades do programa Pop in Lisboa. Trata-se de uma iniciativa da start-up francesa Pop in the City, que, desde 2012, tem visitado várias cidades europeias como Bolonha, Sevilha ou Bruxelas. Este é um desafio urbano, exclusivo para mulheres, que leva 500 participantes a completar o máximo de atividades, divididas em cinco categorias, em diversos pontos da cidade. Há desafios relacionados com arte, desporto, solidariedade, cultura e extreme.