Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Durante dois dias, Matosinhos vai ser uma cidade-poema

Sair

As palavras dos poetas ocupam as ruas de Matosinhos a partir desta quarta, 7. Haverá versos gravados no asfalto, leituras públicas, conversas, lançamentos e espetáculos para, durante dois dias, celebrar a Festa da Poesia

A iniciativa 'No Meio do Caminho Havia um Verso' espalha poesia pelas ruas de Matosinhos

A iniciativa 'No Meio do Caminho Havia um Verso' espalha poesia pelas ruas de Matosinhos

Lucília Monteiro

Estarão espalhados por locais marcados por passos apressados e olhos pregados no chão, para que o sobressalto provocado pela poesia aconteça. No Meio do Caminho Havia um Verso é uma das iniciativas que se repetem na Festa da Poesia, promovida pela Câmara Municipal de Matosinhos, transformando os peões em leitores da poesia de Alice Sant’Anna, Diego Callazans ou Mariano Marovatto. Autores cuja obra integra Naquela Língua – Cem Poemas e mais Alguns, a antologia original dedicada à novíssima poesia brasileira, organizada por Francisco José Viegas, que será lançada por esta altura.

O quartel-general do programa será a Biblioteca Municipal Florbela Espanca, que acolherá atividades para todos os públicos. Logo na abertura, esta quarta-feira, 7, haverá uma entrevista de vida feita ao ensaísta, poeta, escritor e professor Nuno Júdice (21h30) e uma sessão “embriagada” do Vinho dos Poetas conduzida por Carlos Alberto Moniz (22h30). Na quinta-feira, 8, destaque-se o diálogo poético entre os poetas e editores Manuel Alberto Valente e Maria do Rosário Pedreira em Poemas que te Direi (15h45), e os Poemas no Quarto Escuro (17h30), declamados por Alexandra Gonçalves, Miguel Guedes, Sónia Balacó e Jaime Rocha.

Biblioteca Municipal Florbela Espanca > R. Alfredo Cunha, Matosinhos > T. 22 939 0950 > 7-8 nov > entrada livre