Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

A ModaLisboa está de regresso e a criatividade veio com ela

Sair

  • 333

Pátio da Galé e Praça do Município recebem a partir desta quinta, 6, e até domingo, 9, a ModaLisboa. Sob o tema Together, a semana da moda lisboeta apresenta as tendências nacionais para a próxima primavera/verão, dá-nos Sangue Novo e novidades no LAB

Desenhos das peças que compõem a coleção Knock Out da marca Duarte, da estilista e ilustradora Ana Duarte

Desenhos das peças que compõem a coleção Knock Out da marca Duarte, da estilista e ilustradora Ana Duarte

A partir desta quinta, 6, e até domingo, 9, a capital recebe mais uma ModaLisboa. Pelo Pátio da Galé e Praça do Município vão desfilar as tendências para a primavera/verão 2017 dos estilistas nacionais e novos talentos. Depois de se debater o papel da moda na atualidade nas Fast Talks (quinta, 6, 18 horas, Salão Nobre dos Paços do Concelho), o calendário de desfiles inaugura esta sexta-feira, 7, às 18 horas, com o Sangue Novo. A plataforma criativa que apresenta ao mundo o trabalho de jovens designers formados em Portugal ou no estrangeiro, reúne nesta ModaLisboa onze nomes: Carolina Machado, Cátia Moreira, Daniela Ciolan, Duarte, Inês Silva, João Barriga, João Oliveira, M Hka, Micaela Sapinho, Sofiya Malichenko e a designer convidada, a alemã Hermione Fynn, selecionada no âmbito da parceria com o festival de moda holandês FashionClash.

O desfile, feito em conjunto, é uma sucessão de inspirações e silhuetas, todas diferentes, influenciadas pelos mais diversos conceitos – a Rússia e a liberdade, na coleção Svoboda da dupla M HKA, formada por Alexandre Pereira e Felícia Macedo; a obra Segundo Sexo de Simone de Beauvoir, ponto de partida para as propostas de The Other de Micaela Sapinho; ou o equipamento de kickbox, reinterpretado nas peças que compõem Knock Out da marca Duarte (Ana Duarte). Mas os desfiles multiplicam-se para além destas propostas. Na plataforma LAB, a criatividade de novos designers com marcas jovens ainda a darem os primeiros passos vão ser apresentadas em seis desfiles, que ajudam a mostrar, ensaiar e comunicar estes projetos.

Fado, de Patrick de Pádua, é uma das coleções que vai passar pelo LAB (domingo, 9, às 15 e 30, na Praça do Município) e assinala a estreia do jovem estilista de 28 anos nesta plataforma, um direito que ganhou ao ser selecionado pelo júri do Sangue Novo na edição anterior da ModaLisboa. “No Sangue Novo apresentamos o nosso projeto com mais dez pessoas, agora vou ganhar mais visibilidade e ter um espaço só para mim”, diz à Visão Se7e.

Croqui da coleção primavera/verão 2017 de Patrick de Pádua

A coleção que vai apresentar teve como ponto de partida o fado, “no sentido de destino e não como música", explica o designer. “Os meus conceitos são um pouco diferentes dos apresentados pelos meus colegas. O ponto de partida para os projetos é sempre a música, nunca é sobre as flores ou a pedra da calçada. Eu não consigo fazer projetos assim, preciso de algo mais consistente”.

Quanto ao que se vai ver desfilar adianta que “os tradicionais xailinhos de franjas” não vão passar pela passerelle. Vamos ver calças, calções, calções mais curtos, muitos bombers, casacos compridos fluidos. Silhuetas oversize com materiais mais soltos, nada colado ao corpo. Nos materiais usou impermeáveis, lãs, denim, sarja, cupro, malhas técnicas e pvc. E quanto às cores são apenas três: o preto, que se identifica imediatamente com o fado, rosa pálido e transparente.

O percurso de Patrick na ModaLisboa começou com uma brincadeira: “Pensei, vamos lá participar no Sangue Novo e ver o que é que vai sair daqui”. A verdade é que acabou selecionado, e em março de 2014 apresenta-se pela primeira vez no Sangue Novo, onde regressa nas três estações seguintes. Representou Portugal no FashionClash, uma parceria estabelecida entre o festival de moda holandês e a ModaLisboa, onde acabou por ganhar, em junho de 2015, o Kaltblut Award. Segue-se agora esta nova aventura, da qual não sabe ainda muito bem o que esperar. “Estou um bocadinho ansioso e nervoso mas acho que é normal. Vou passar de 10 coordenados para 27, é mais do dobro e faz uma grande diferença”, diz. A Patrick de Pádua é uma marca de homem mas o estilista esclarece que isto não quer dizer que no futuro não mude a agulha “porque tem que pensar no lado comercial e as mulheres são as que mais consomem moda”.

Os desenhos de Dino Alves

As apresentações da plataforma LAB incluem ainda as propostas estivais de Catarina Oliveira, Morecco, David Ferreira, Olga Noronha e Awaytomars. E até domingo, 9, a ModaLisboa desvenda as coleções de Ricardo Preto, Nuno Gama, Valentim Quaresma, Christophe Sauvat, Saymyname, Dino Alves, Filipe Faísca, Ricardo Andrez, Nadir Tati, Kolovrat e Luís Carvalho. Quatro dias de muita moda e criatividade a borbulhar.

Os desfiles de Patrick integram sempre pessoas que nunca desfilaram, desta vez, cabe a dois rapazes da Casa do Gaiato mostrarem as propostas de verão do estilista. É para esta instituição que irá reverter o valor obtido com o leilão de um par de sapatos de modelo único e exclusivo, em rosa pálido, criado especialmente para a ocasião, numa parceria com marca Dkode. O valor inicial do leilão, que vai decorrer até ás 24 horas do dia 25 de outubro, na plataforma Catawiki.pt, é de €150. Os interessados em licitar não precisam de preocupar-se com o número que calçam pois o sapato será feito na medida do pé do vencedor.

ModaLisboa > Pátio da Galé e Praça do Município, Lisboa > 6-9 out, qui 18h, sex 18h, sáb 14h30, dom 12h30