Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Juntar a fome de ler à vontade de comer na Feira do Livro de Lisboa

Sair

Editores e livreiros ocuparam os pavilhões montados ao longo do Parque Eduardo VII, em Lisboa. E com eles foram os negócios da comida. Em fartura

A Skinny Bagels estará na Feira do Livro com os seus pães em forma de donut que vão bem, por exemplo, com salmão fumado, queijo creme aromatizado, rúcula e cebola roxa

A Skinny Bagels estará na Feira do Livro com os seus pães em forma de donut que vão bem, por exemplo, com salmão fumado, queijo creme aromatizado, rúcula e cebola roxa

Na 86.ª edição da Feira do Livro de Lisboa, a disposição mantém-se e, se o objetivo é encontrar um bom livro, então é só subir a ala direita e descer pela esquerda, enquanto nos altifalantes se anuncia a presença de autores, sessões de autógrafos e debates. Logo à entrada, está o palco Show Cooking, estreado na edição do ano passado, com cozinha equipada e auditório, onde vão decorrer as apresentações de livros de culinária. Já este sábado, 28, aprendem-se receitas “verdes e alternativas” na Bimby e no domingo, 29, a chefe de pastelaria Rita Nascimento vai mostrar, a partir do seu livro Sobremesas 555, que é possível fazer doces em cinco minutos, com cinco ou menos ingredientes, gastando até cinco euros.

Aguçado o apetite, e a piscar o olho aos leitores, a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) volta a apostar forte na oferta gastronómica, assegurando mais de 40 pontos de venda de comida. Entre os quais: Bolas da Praia (com ou sem creme); Pizzaria do Bairro com as suas pizzas à fatia de massa fina e estaladiça; e Skinny Bagels, os pães em forma de donut que vão bem, por exemplo, com salmão fumado, queijo creme aromatizado, rúcula e cebola roxa. A Cachorro Vadio também vai lá estar a vender, não cachorros, mas (imagine-se) hambúrgueres. E se da Piaggio em tons verde e beringela da Frua saem refrescantes sumos e smoothies, a Tágide aposta na combinação entre vinho do Porto com queijo de ovelha amanteigado ou o rebuçado de ovo de Santa Clara. Ao grupo de repetentes na feira, juntam-se os estreantes Maria Tenra (pastéis de massa tenra), Pregos na Casquinha (de pato, picanha, grão e batata-doce, e sapateira), Tacos & Tapioca (comida mexicana) e o The Cru – comida 100% bio que, além dos wrepes de atum, a sua mais recente novidade, levam também trufas feitas de cacau cru com avelã e amendoim, coco ou amêndoa. Gulosos também são os brigadeiros da Brigadoce e o doce de ovos de Aveiro do Tripa on Wheels.

Com mais de mil iniciativas a decorrer até 13 de junho, esta é também a oportunidade para se comprar livros com um mínimo de 50% de desconto nos pavilhões dos participantes aderentes, durante a chamada Hora H (a partir de 30 de maio, de segunda a quinta-feira, entre as 22 e as 23 horas). Repetido é também o acampamento noturno para crianças dos 8 aos 10 anos, que vão poder dormir no Parque Eduardo VII na companhia de autores, ilustradores e contadores de histórias. A Feira do Livro de Lisboa tem este ano um número recorde de participantes (123) e de pavilhões (277). Falta bater o número de visitantes, cerca de 500 mil, registado no ano passado.

Nos dias 9, 10 e 12 de junho, por causa dos feriados do Dia de Portugal e do Dia de Santo António, o horário de funcionamento da Feira do Livro estende-se até à meia-noite.

The Cru leva à Feira do LIvro a sua comida 100% bio: wrepes e trufas de cacau cru com avelã e amendoim, coco ou amêndoa

The Cru leva à Feira do LIvro a sua comida 100% bio: wrepes e trufas de cacau cru com avelã e amendoim, coco ou amêndoa

86.ª Feira do Livro de Lisboa > Parque Eduardo VII, Lisboa > 26 mai-13 jun > seg-qui 12h30-23h, sex 12h30-24h, sáb 11h-24h, dom 11h-23h