Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Convento São Francisco, a novíssima sala de Coimbra

Sair

Recuperado pelo arquiteto Carrilho da Graça, o Centro de Convenções e Espaço Cultural tem capacidade para acolher mundos e fundos

Lucília Monteiro

No Convento São Francisco, por todo o lado, se vê alguém de ferramentas ou de esfregona na mão. “À medida que os espaços ficam prontos, vamos abri-los, não estamos à espera de uma grande inauguração”, explica Carina Gomes, a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Coimbra, que comprou o edifício em 1986 e há muito ansiava por lhe dar um destino. Por enquanto, estão prestes a entrar em funcionamento os espaços requalificados do convento do século XVII (só à volta dos claustros há 12 salas) e o novo edifício adjacente (onde fica o auditório de 1125 lugares, com fosso de orquestra e concha acústica), projetados pelo arquiteto Carrilho da Graça.
Para mais tarde, ficará a conclusão das obras na igreja, da autoria de Gonçalo Byrne. Ainda que com pó ou pormenores por concluir, o impacto das estruturas, na margem esquerda do Mondego, é gigantesco. Trata-se de um investimento de cerca de 42 milhões de euros. Haverá uma reabertura simbólica, protagonizada pelo teatro O Bando, esta sexta, 8, e sábado, 9, com o espetáculo Dos Bichos. Uma revisitação de um momento icónico vivido ali há 26 anos, tendo por base a obra de Miguel Torga. O público será convidado a acompanhar o elenco, numa viagem pelos espaços do convento. A proposta resume, em parte, a filosofia de programação do Centro: construir projetos de ligação entre a memória, a contemporaneidade e o saber; criar relações com instituições nacionais e internacionais de referência; e cruzar diferentes disciplinas artísticas.
Se a intenção é colocar o Convento São Francisco no mapa, o programa do primeiro trimestre cumpre a função: Mão Morta & Remix Ensemble e Josephine Foster (dia 16), Pedro Burmester e Mário Laginha (22), TAO Dance Theater (25), Michael Nyman (14 de maio), Quinteto Sandro Norton e Garry Burton (21 de maio), Benjamin Clementine (3 e 4 de junho) e Maria Rita (25 de junho). Haverá ainda projetos-âncora no Novo Circo, Jazz & Blues, Artes Digitais e Música Eletrónica bem como um serviço educativo, com propostas para a família.

Lucília Monteiro

Convento São Francisco > Av. da Guarda Inglesa, Coimbra > T. 96 546 6359