Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

"Germanico in Germania", de Nicola Porpora, uma obra renascida

Livros e discos

“Germanico in Germania” foi gravada na íntegra pela primeira vez, com o contratenor Max Cencic no papel titular

Luís M. Faria

Com a marca da Decca Classics, esta edição tem um carácter histórico por não ter antecedentes. Hasnaa Bennani, Max Cencic, Dilyara Idrisova, Mary-Ellen Nesi, Julia Lezhneva, Juan Sancho, Jan Tomasz Adamus e o ensemble Capella Cracoviensis gravaram pela primeira vez a ópera Germanico in Germania

Com a marca da Decca Classics, esta edição tem um carácter histórico por não ter antecedentes. Hasnaa Bennani, Max Cencic, Dilyara Idrisova, Mary-Ellen Nesi, Julia Lezhneva, Juan Sancho, Jan Tomasz Adamus e o ensemble Capella Cracoviensis gravaram pela primeira vez a ópera Germanico in Germania

Quando a ópera Germanico in Germania se estreou em Roma, em 1732, todos os cantores eram homens, por imposição papal. Os papéis principais, não só os femininos, eram desempenhados por castrati. Como estes já não existem, uma versão moderna tem de usar cantoras em vários papéis, mesmo quando se trata de generais ou capitães. Pouco importa, pois a verosimilhança, aqui, não é critério de fruição. Retirados da Mitologia ou da História Antiga, os argumentos serviam para justificar emoções musicais nobres e produções faustosas. O essencial é a beleza da linha vocal e o virtuosismo dos cantores. Juntando pureza de voz e a potência de emissão, os castrati podiam atingir o estatuto de estrelas internacionais pagas a peso de ouro. Assim aconteceu com alguns alunos de Nicola Porpora (1686-1768), um napolitano que, além de compositor, foi um professor extremamente exigente e bem-sucedido.

Germanico in Germania surge aqui gravada na íntegra pela primeira vez. Quase 30 curtas árias da capo, alternadas com recitativos acompanhados com cravo, pode parecer algo monótono, não se desse o caso de muitas das árias serem pequenas joias musicais servidas por alguns dos melhores cantores do nosso tempo, incluindo o contratenor Max Cencic e a soprano Julia Lezhneva, perfeitamente capazes de fornecer a flexibilidade, o equilíbrio sustentado entre registos, os floreados e tudo o mais que esta arte datada, mas extremamente gratificante, requer.