Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Cinco livros para (re)encontrar na Feira do Livro de Lisboa

Livros e discos

Demos-lhe destaque nas páginas da VISÃO Se7e ao longo das últimas semanas. Agora, na Feira do Livro de Lisboa, há uma excelente oportunidade para os leitores os encontrarem. No sítio do costume − o Parque Eduardo VII − até 13 de junho

1. O prazer de ler palavras do argentino Jorge Luís Borges nunca antes traduzidas para português? Sim, em O Tango, reunião de quatro conferências inéditas sobre o tema. Uma viagem à mais profunda identidade da Argentina e de um ritmo que conquistou o mundo.

2. Para muitos, é o melhor escritor espanhol (ou deveremos dizer catalão?) da atualidade. Em Mac & o Seu Contratempo, Enrique Vila-Matas continua às voltas com o seu tema de sempre, a sua obsessão: a própria literatura. Um livro dentro de um livro que nos faz acompanhar as inquietações de um aspirante a escritor fascinado pela história de um certo ventriloquo que cometeu um crime em Lisboa...

3. Empacotar 35 mil livros guardados numa pequena aldeia nas margens do rio Loire, em França, para os transportar para o Canadá não é uma empresa fácil. Alberto Manguel discorre, a partir dessa sua experiência, sobre todas as bibliotecas do mundo, a sua vida, a sua letargia e o risco do fim ou inutilidade total. “Apesar das minhas esperanças, sei que nenhuma biblioteca pode ser plenamente ressuscitada”, lê-se em Empacotando a Minha Biblioteca.

4. Os leitores conhecem-no, sobretudo, dos seus romances (O Remorso de Baltazar Serapião, O Apocalipse dos Trabalhadores, A Máquina de Fazer Espanhóis...) que definiram uma voz muito própria na literatura portuguesa. Mas a poesia foi sempre um labor quotidiano na vida de Valter Hugo Mãe, que se estreou na publicação de livros, em 1996, com o livro de poemas silencioso corpo de fuga. Publicação da Mortalidade é a primeira antologia poética do escritor, filtrada pelo olhar do autor sobre a sua própria obra..

5. Uma espécie de livro sobre tudo, mostrandos as idiossincrasia, embirrações, prazeres ou inquietações do pálido melancólico Pedro Mexia. Ao todo, Lá Fora reúne 64 crónicas revelando um olhar sempre atento e inteligente que consegue misturar, de um modo muito próprio, humor e erudição.