Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Sete histórias para celebrar o Dia Internacional do Livro Infantil

Livros e discos

  • 333

É este domingo, 2 de abril, que se comemora o Dia Internacional do Livro Infantil. Razão mais do que suficiente para termos escolhido sete novos livros para crianças, que nos dão vontade de passar o fim de semana inteiro em leituras com elas

1. Se as Maçãs Tivessem Dentes

É de 1960, este livro, e felizmente a editora Bruaá continua a desenterrar estes pequenos tesouros da história da literatura infantil. Foi o primeiro feito, em conjunto, pelo casal norte-americano Shirley e o Milton Glaser, ela escritora, ele designer (é dele o célebre símbolo de Nova Iorque I ♥ NY). Se as Maçãs Tivessem Dentes é um passeio maravilhoso pelo mundos dos ses ou, como diz a Bruaá, por “absurdas e divertidas se…tuações”. Em verso e com a imaginação solta, Shirley Glaser vai imaginando o que aconteceria se, se, se… as tartarugas fossem galinhas, os porcos usassem cabelo postiço, um jacaré se disfarçasse de mala, os cogumelos tivessem cabelos, os ovos fossem transparentes… Milton Glaser acompanha o devaneio com ilustrações divertidas e coloridas, que nos levam por esse universo deliciosamente disparatado dos ses adentro. De Shirley Glaser e Milton Glaser > Bruaá > 36 págs. > €14

2. A História da Gata das Botas

Descobrir uma história inédita de Beatrix Potter já, por si, merece ser celebrado. Saber que a história estava por ilustrar e que foi Quentin Blake quem se encarregou dessa tarefa, deixa-nos numa alegria infantil quando abrimos o livro. “Era uma vez uma gata preta, séria e bem-comportada”, assim começa a escritora a narrar a aventura de Kitty – ou de Miss Catherine St. Quentin, como ela própria gostava de se apelidar. Uma gata muito especial, que, às escondidas, se escapulia de casa à noite para, vestida de casaco Norfolk masculino e de botas de pelo, ir à caça de outros animais. Peripécias não lhe vão faltar pelo caminho, está visto, e Beatrix Potter relata-as numa escrita cheia de divertidas descrições, com muita sabedoria e muito humor, potenciadas pelo traço solto de Quentin Blake. De Beatrix Potter e Quentin Blake > Asa > 72 págs. > €14,90

3. A Bola Amarela

A Coleção dos Cantos Redondos, da editora Planeta Tangerina, continua a mostrar-nos que o livro pode mesmo ser “um lugar” e que existem muitas formas de o ler – sobretudo pegando-lhe e brincando com ele. O novo A Bola Amarela leva-nos da capa à contracapa, mas obrigando-nos a entrar por aquele intervalo fininho, no meio do livro, onde ele se dobra, e a saltar entre as páginas, para trás e para a frente, sempre atrás de Luís e Luísa, dois jogadores amigáveis de ténis que procuram a bola perdida com que jogavam. Pelo caminho, há uma festa com personagens que não nos são estranhas, uma página em branco que fala, um deus velhote e pouco dado a graçolas, uma savana a preto e branco, um burro gozão, um coelho fofinho e tantos outros que com eles (e connosco) se cruzam. Com texto de Daniel Fehr, a história ganha vida nos desenhos de Bernardo P. Carvalho, que aqui conjuga diferentes traços, fotografia e um sentido de humor enorme. De Daniel Fehr e Bernardo P. Carvalho > Planeta Tangerina > 40 págs. > €13,50

4. Cocó – Uma História Natural (daquilo de que não se fala)

Porque não se há de falar de cocós é coisa que nunca se percebeu. Os adultos envergonham-se, as crianças riem-se – e este livro explica tudo tim-tim por tim-tim, com textos e ilustrações divertidas: as diferentes fezes dos animais (do peixinho dourado ao hipopótamo, da vaca ao grilo), as suas funções, as suas consistências e as suas cores, os problemas que pode resolver, o destino que têm, quem são os comedores profissionais de cocó, o que fazem dele as formigas e por aí fora. Um livro para crianças curiosas e sem esquisitices – tal como o outro, dos mesmos autores, também editado pelos Livros Horizonte, Animais Mortíferos! – A Verdade Acerca das Criaturas Mais Perigosas do Planeta. Dois títulos da nova coleção Ciência Animal. De Nicola Davies e Neal Layton > Livros Horizonte > 40 págs. > €13,90

5. Aqui Há Gato!

É um livro pequenino, este, mesmo à medida de meninos muito certinhos – ou, então, mesmo a calhar para aqueles dias em que se trocam as voltas e são os adultos a ouvir uma história contada pelos mais novos. Vermelho, preto e branco são as cores desta história sobre o rei Dom Chato, que “fazia sempre tudo da mesma maneira” e “nunca, nunca fazia as coisas de modo diferente”. Valeu a todos a Dona Cristina que, “farta de tanta rotina, disse: Basta!”. E eis uma revolução, um mundo a divertidas avessas, em que os burros uivam, as zebras grasnam, as árvores vão ao cabeleireiro. Um livro de dupla estreia: a de Rui Lopes, tradutor de longa data da Orfeu Mini, que escreve a história; e a de Renata Bueno, arquiteta, artista visual e ilustradora brasileira, que não tinha ainda publicado em Portugal e que aqui inventa tantas e tantas personagens a partir de códigos de barras. De Rui Lopes e Renata Bueno > Orfeu Mini > 48 págs. > €9,90

6. Animais e Animenos – e outros bichos mais pequenos

É em voz alta que sabe bem ler estes versos escritos por Rita Taborda Duarte sobre os animais que, afinal, são “animenos” de tão “minusculíssimos” que são. Elenquemos os “bichíssimos”, que só de olhos bem fechados se veem: elefantigas, girafeus, camaritos, minipóneis e afins saltitam nestas páginas ao ritmo da imaginação da escritora e também do pintor Pedro Proença, que os desenha cheios de cores. Uma “bicharinha” pegada que só podia mesmo ser “uma espécie de piolhos que vivem nos nossos miolos” – e que bem nos fazem estando lá, a desarrumar os pensamentos, a pular de ideia em ideia, e a provocar “comichão no lóbulo da imaginação”. De Rita Taborda e Pedro Proença > Caminho > 64 págs. > €12,90

7. Balea

Porque os livros nem precisam de muitas páginas para nos perdermos neles e porque às vezes é bom sermos nós a inventarmos histórias e até porque, na verdade, dentro de uma baleia cabem coisas inacreditáveis, eis Balea, dos espanhóis Federico Fernández e Germán González: um livro acordeão que nos mostra o que há no corpo de uma gigante baleia mecânica, onde vive uma tripulação de dezenas de homenzinhos vestidos de fato e capacete amarelo. Ali há tempo para desenhos e guitarradas, para danças e acrobacias, para cozinhados e leituras, para cantar e semear, para festas e acidentes e também muitos trabalhos. Uma pequena cidade submarina, dividida em quartos e quartinhos, pronta a levar a nossa imaginação por aí fora. De Federico Fernández e Germán González > Kalandraka > €16