Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

'60 Years of Music', de Ennio Morricone: Acordar as imagens

Livros e discos

Os melhores momentos saídos das mais de 500 bandas sonoras assinadas pelo maestro italiano. Escolhidos e dirigidos por ele próprio

Além do disco com 23 faixas, 60 Years of Music inclui um DVD que nos transporta para a gravação da banda sonora do filme de Tarantino Os Oito Odiados nos célebres estúdios Abbey Road

Além do disco com 23 faixas, 60 Years of Music inclui um DVD que nos transporta para a gravação da banda sonora do filme de Tarantino Os Oito Odiados nos célebres estúdios Abbey Road

Já se sabe que por esta altura do ano as editoras conseguem, ainda e sempre, inventar mais um best of, um greatest hits... dos Abba, dos Queen ou até dos Simply Red. Diz a tradição que dão excelentes presentes de Natal para gente sem imaginação. Mas as coletâneas não são todas iguais e esta tem argumentos de sobra para se destacar.

Na verdade, sendo de facto um best of, não é uma recolha de temas de diversos discos coligidos num só. Nesta celebração de 60 anos de música do maestro Ennio Morricone (que cumpriu 88 anos de vida em novembro), 23 trechos musicais provenientes das suas bandas sonoras foram reinterpretados pela Orquestra Sinfónica Nacional Checa, com a sua direção, em vários palcos de uma digressão que se vai estender por 2017. É esse registo que aqui se ouve, numa seleção com a marca do próprio maestro que teve o controlo de todo o processo, resultado da assinatura de um novo contrato discográfico com a Decca Music/Universal.

Ennio Morricone não precisava de ter ganho um mais do que justo Oscar (este ano, pela banda sonora de Os Oito Odiados, de Quentin Tarantino) para inscrever o seu nome, em letras bem grandes, na história do cinema. E é por isso que este disco está, inevitavelmente, habitado por imagens. Basta fecharmos os olhos, ou nem isso... Ficam (os mais sentimentais) de lagriminha ao canto do olho ao ouvirem os dois trechos saídos de Cinema Paraíso, recordando cenas do clássico instantâneo que Giuseppe Tornatore estreou em 1988; viajamos para olhares duros e paisagens empoeiradas de westerns ao som dos lendários acordes que habitaram os filmes de Sergio Leone (Por um Punhado de Dólares, de 1964, Por Mais Alguns Dólares, 1965, e O Bom, o Mau e o Vilão, 1966, Aconteceu no Oeste, 1968...) e foram fundamentais para a projeção do nome de Morricone no mundo. Apropriadamente a fechar este disco cheio de imagens, encontramos Death Theme, saído de Os Intocáveis (1988), de Brian de Palma. A seguir, um The End projetado à frente dos nossos olhos faria todo o sentido.