Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

A Bela Aurora, a nova 'guesthouse' do Porto, é um refúgio dentro da cidade

Escapar

No Quarteirão das Artes, no Porto, há uma casa de família com um jardim exclusivo e um amanhecer fantástico. O jazz e a world music, selecionados por um radialista com 50 anos de experiência, embalam o silêncio dos dias

Originária 
do final do 
século XIX, 
a casa foi recuperada com a colaboração do arquiteto Tiago Oudman (Studio Kunchi)

Originária 
do final do 
século XIX, 
a casa foi recuperada com a colaboração do arquiteto Tiago Oudman (Studio Kunchi)

D.R.

O dia acordou cinzento e a tarde fria vai-se rendendo à chuva que teima em cair, ficando o Quarteirão das Artes entregue à neblina. É o Porto em dias de inverno que, num piscar de olhos, desaparece. Ou fica esquecido, vá, quando entramos na guest house que a artista e fotógrafa Paula Sousa e o produtor musical e jornalista Massimo Villa acabam de abrir na Rua do Rosário. À entrada desta casa burguesa do final do século XIX, agora recuperada com a colaboração do arquiteto Tiago Oudman (Studio Kunchi), é a luz natural que nos guia os passos em direção ao jardim. Não há como resistir a espreitar o longo tapete verde, que acompanha o caminho das pedras até às velhas camélias. Adivinham-se tardes de leitura e de conversa, com toda a calma, ao sabor da preguiça de dias longos. Neste refúgio, dentro da confusão da cidade, quase nos sentimos sozinhos.

D.R.

A Bela Aurora é uma casa, onde o espírito de partilha familiar está sempre presente. Sem incomodar. “Antes de tudo, esta é a nossa casa, e queremos que os hóspedes se sintam em casa, fora de casa”, diz Paula. O pequeno-almoço serve-se ali mesmo, na mesa corrida da cozinha, onde há pão e bolos acabados de fazer, sumo natural e fruta fresca. E ouve-se música boa, do jazz à world music, numa seleção feita por Massimo que, em 2018, faz 50 anos de trabalho na rádio.

Inspirado pelos sítios em que ficavam em viagem, o casal optou pela zona da cidade onde, dizem, a escolha “é mais cosmopolita, eclética e alternativa”– junto às galerias. “O bairro foi essencial”, explicam. Respeitando a estrutura original, o edifício de quatro pisos, que mantém as paredes em granito, tetos altos, janelas grandes e piso de madeira, foi adaptado para oferecer o conforto dos nossos dias. Com apenas cinco suítes, onde há camas king size e mobiliário feito à medida, a casa reflete toda a elegância e um certo bom gosto. A cada passo, peças de design e fotografias de Paula. Na sala, antigos cadeirões e móveis feitos por um tio-avô, na década de 40, para o casamento dos pais de Massimo. É bom o amanhecer nesta casa de família, adivinha-se.

D.R.

A Bela Aurora > R. do Rosário, 227, Porto > T. 96 022 6569 > a partir de €105 (suíte), mínimo duas noites