Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Vilalara Thalassa Resort: O luxo sabe bem

Escapar

A praia logo ali, massagens de relaxamento e, à mesa, sabores reinventados do mar e da terra – apenas uma amostra do que nos espera no Vilalara Thalassa Resort, o resort de cinco estrelas junto a Porches, no Algarve

O Vilalara Thalassa Resort fica mesmo em cima da Praia da Cova Redonda

O Vilalara Thalassa Resort fica mesmo em cima da Praia da Cova Redonda

Que se desengane quem procura por aqui o mais puro dos silêncios. No Vilalara Thalassa Resort, ouvem-se pássaros a cantar e contra isso, felizmente, nada há a fazer. Outra coisa não seria de esperar, a avaliar pela quantidade de diferentes flores e árvores que se veem ao longo dos vários caminhos deste resort de cinco estrelas, mesmo em cima da Praia da Cova Redonda ou, como por cá é conhecida, a Praia das Gaivotas (e, sim, elas também andam por lá).

Aberto desde 1967, num terreno de 11 hectares sobre a falésia, o Vilalara foi mudando de mãos ao longo dos anos, sem nunca perder a capacidade de se renovar. Em construção, estão dez novos apartamentos, para venda ou aluguer, que, em março de 2018, se deverão juntar à oferta já disponível: outros dez T1, T2 e T3, e 111 suítes.

Também à mesa se vai inovando e prova disso é a chegada, no início deste ano, do chefe de cozinha Pedro Sequeira, que ali dirige o restaurante B&G, o mais gourmet dos dois que existem no resort. A ideia, confessa a diretora geral do Vilalara, Katja Hekkala, é “ir elevando a qualidade, a pensar, não para já, mas num futuro próximo, na Estrela Michelin”. Para descrever a nova ementa, o chefe escolhe a palavra “frescura”, sublinhando a importância de dar destaque ao peixe do Algarve.

Não se imagine Pedro Sequeira a descer à praia de cana de pesca na mão, mas a verdade é que alguns dos ingredientes que usa nos seus pratos vêm dali mesmo, da “horta do chefe” do resort, pela qual muitos dos hóspedes passam sem se aperceberem. “Há imensa coisa neste hotel: ervas, flores, figos, nêsperas, laranjas, tangerinas…”, enumera.

De resto, tudo continua discretamente igual no Vilalara: o acesso direto e privilegiado à praia, que não é privativa mas parece, as cinco piscinas de água doce e salgada, as sessões de ioga e de tai-chi debaixo dos pinheiros e com vista para o mar, os campos de futebol, de ténis e de padel, as atividades que vão dos passeios pelas falésias, do birdwatching e do snorkeling às excursões gastronómicas e vínicas pela região, o clube para as crianças, e, claro, o Vilalara Longevity Thalassa & Medical Spa, com os seus tratamentos feitos à base de água do mar e de algas, que acodem a pedidos para relaxar, desintoxicar, emagrecer e muitos outros desejos dos citadinos que aqui procuram refúgio.

E depois há o sossego, à prova de lotações esgotadas, já que os hóspedes andam dispersos por todo o resort – e, sim, também à prova de todos os cantos dos pássaros que por lá esvoaçam.

Na carta do restaurante B&G, no Vilalara, há pratos como lagostim e vieira, pezinhos de porco, cremoso de cogumelos silvestres (€17), robalo de mar corado, puré de aipo e nabo, legumes de inverno glaceados, molho de poejo (€35) ou barriga de leitão 26hrs, maçã assada em duas texturas, micro legumes glaceados com molho de balsâmico, figos secos do Algarve (€24).

No resort existem 111 suítes, além de dez T1, T2 e T3

No resort existem 111 suítes, além de dez T1, T2 e T3

Vilalara Thalassa Resort > Praia das Gaivotas, Alporchinhos, Porches, Lagoa > T. 282 320 000 > a partir de €320 (suite vista jardim, época alta)