Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Quinta M: Em terra de campinos e do cavalo lusitano

Escapar

No coração do Ribatejo, há um turismo rural para quem gosta da tranquilidade – e do silêncio – da vida no campo. E onde os quartos são “yurts”, com claraboia no teto para dormir com as estrelas

Existem quatro yurts, numa versão moderna das tendas tradicionais da Mongólia, que Florence e Louis tão bem souberam integrar na propriedade

Existem quatro yurts, numa versão moderna das tendas tradicionais da Mongólia, que Florence e Louis tão bem souberam integrar na propriedade

Diogo Romão

Xarope cheira o caderno onde vamos tirando notas. É o mais curioso dos cinco cavalos de raça lusitana que ocupam as boxes, esperando à vez por um afago. Foi a paixão por eles, e a vontade da filha mais velha, Morgane, em se tornar profissional na competição de dressage, que levaram Florence e Louis Giordimaina a deixar o Porto, onde o casal francês vivia há mais de dez anos, para se instalar no coração do Ribatejo. “Ouvimos falar da Feira Nacional do Cavalo, na Golegã, e viemos de passeio. Uma, duas, três vezes, até que, em 2009, decidimos mudar-nos para cá”, conta Florence, 
a proprietária da Quinta M, no lugar de Casal da Avó, em Casével.

“A ideia inicial era fazer da propriedade uma espécie de centro de treinos 
e de estágio, onde a Morgane pudesse treinar diariamente e dar aulas (é ela a instrutora da quinta). Mas depois percebemos que fazia mais sentido se as pessoas tivessem onde ficar”, recorda Florence, num português perfeito que só ainda não perdeu o sotaque. Às cavalariças com dez boxes, ao picadeiro coberto e outro ao ar livre, acrescentaram uma pequena casa (onde fica a sala de estar e de refeições), e quatro yurts, numa versão moderna das tendas tradicionais da Mongólia, que Florence e Louis tão bem souberam integrar na propriedade, onde não falta uma horta e uma vinha.

Cátia Castro

Cada yurt tem o nome de um rio português e uma cor que predomina na decoração: o Douro é verde, o Tejo veste-se de azul, o Minho pinta
-se de lilás e o Lima tem tons laranja. Lá dentro, todo o conforto de um quarto de 24 metros quadrados: cama de casal, uma pequena zona de estar com roupeiro, roupões, casa de banho. 
As caixas de jogos tradicionais substituem 
a televisão, nota Florence, porque o objetivo é que se aproveite para descansar, neste ambiente tranquilo onde reina o silêncio, interrompido (lá está) apenas pelo relinchar dos cavalos. Seja a ler no terraço privado ou à beira da piscina seja a dar um passeio pela propriedade ou a pedalar pelas redondezas.

Se a estada inclui o pequeno
-almoço, a pedido servem-se também snacks e refeições. Tudo caseiro e preparado por Florence, porque ela assim faz questão, e o mais saudável possível: pouca carne, muitas especiarias e ervas frescas, muitos legumes, saladas, frutas. 
“As pessoas dizem-nos que se sentem como numa casa de amigos ou de família. E quando ouvimos isto, é porque o trabalho está feito”, congratula-se a sempre sorridente anfitriã.

Além das aulas de equitação, a Quinta M tem outras atividades, como ioga, pilates e meditação. Também se pode marcar uma massagem e as bicicletas estão sempre disponíveis para um passeio.

Cátia Castro

Quinta M > Casal da Avó – Várzea de Baixo, Casével > T. 243 448 206 > €150 (1 out-31 abr), €180 (1 mai-30 set) > cama extra criança €20