Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

O luxo confortável da Casa da Calçada

Escapar

  • 333

Ao hotel da cadeia Relais & Châteaux em Amarante, sobranceiro do rio Tâmega, não faltam argumentos para convencer os hóspedes – e vão muito além da comida e dos vinhos

É fácil rendermo-nos ao luxo confortável da Casa da Calçada, dentro de um estilo muito clássico

É fácil rendermo-nos ao luxo confortável da Casa da Calçada, dentro de um estilo muito clássico

António Chaves

A Casa da Calçada tem uma presença imponente, sobranceira ao rio Tâmega, condizente com a sua história. Foi aqui, afinal, o quartel-general dos comandos aliados durante as invasões napoleónicas, sendo a ponte de Amarante palco da batalha que permitiu travar as tropas francesas o tempo suficiente para o exército anglo-luso se reorganizar. Sem querer forçar o paralelismo (mas já o fazendo), diríamos ser este hotel uma boa paragem para quem está a meio caminho entre o Porto e o Vale do Douro.

A envolvente vale, por si só, uma visita, com a restauração tradicional da Rua 31 de Janeiro ali à porta (nomeadamente, as pastelarias que exploram o maravilhoso receituário do Convento de Santa Clara), e o restante centro histórico de Amarante na outra margem do rio, onde se destaca o convento de São Gonçalo, a igreja de São Domingos e o Museu Amadeo de Souza-Cardoso. É uma cidade de muitos encantos, como o café histórico de São Gonçalo (a estátua de Teixeira de Pascoaes, no interior, recorda as intensas tertúlias) ou o parque florestal, plantado em 1916 por iniciativa de António do Lago Cerqueira, o republicano cuja família foi proprietária, durante séculos, da Casa da Calçada e responsável pela plantação das vinhas ao seu redor.

Manuel António da Mota, fundador do grupo Mota-Engil, comprou o edifício e o negócio dos vinhos na década de 60 do séc. XX. A propriedade foi completamente recuperada e, em 2001, abriu o hotel de charme, com apenas 30 quartos. Dois anos depois, ganhava o selo da cadeia Relais & Châteaux, importantíssimo para a sua divulgação. Tal como o restaurante Largo do Paço, distinguido com uma estrela Michelin, feito alcançado por quatro chefes de cozinha: José Cordeiro, Ricardo Costa, Vítor Matos e, atualmente, André Silva.

O peso do argumento enogastronómico nas estadias é inegável, mas é fácil rendermo-nos ao luxo confortável da Casa da Calçada, dentro de um estilo muito clássico. Assim aconteceu com o casal franco-americano que ali celebrou casamento, reunindo convidados de ambos os lados do Atântico (sim, o romantismo paira no ar). Já menos evidente é o facto de ser um hotel bike friendly, aproveitando a proximidade de uma ecopista. Refira-se ainda o Parque Aquático e o Golfe de Amarante (também pertencentes ao Grupo Mota-
-Engil) para o pacote turístico ficar completo.

O restaurante Largo do Paço já apresentou a nova carta de inverno, logo após ter vencido uma Estrela Michelin. “É a gastronomia portuguesa a dar frutos, deixámos de andar a reboque dos outros”, diz o chefe André Silva

O restaurante Largo do Paço já apresentou a nova carta de inverno, logo após ter vencido uma Estrela Michelin. “É a gastronomia portuguesa a dar frutos, deixámos de andar a reboque dos outros”, diz o chefe André Silva

Pedro Costa

Casa da Calçada > Lg. do Paço, 6, Amarante > T. 255 410 830 > quartos a partir de €95 > restaurante seg-dom 12h30-15h, 19h30-22h30