Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

A inspiração marítima da marca La Paz chegou a Lisboa

Comprar

A marca de roupa masculina portuense apontou o leme a sul e instalou-se no Cais do Sodré, em Lisboa, com uma loja inspirada nas tradições do mar, em sintonia com o estilo que apregoa

Na decoração, utilizaram-se caixas de peixe a servir de gavetas e os armários são revestidos a redes trabalhadas pelos pescadores da Apúlia, em Esposende

Na decoração, utilizaram-se caixas de peixe a servir de gavetas e os armários são revestidos a redes trabalhadas pelos pescadores da Apúlia, em Esposende

Foi numa antiga loja de ferragens para navios, que serviu também como armazém de boias para embarcações, na Rua das Flores, Cais do Sodré, que a La Paz decidiu abrir loja em Lisboa. A marca portuense de peças masculinas, que nasceu da ligação às tradições marítimas, tem loja na Ribeira do Porto e, ao fim de quase dois anos à procura de um lugar na capital, descobriu-o num bairro desde sempre ligado ao mar. “Fizemos aqui uma loja-lota. As caixas do peixe, presas em calhas às paredes, servem de gavetas para guardar as peças e os armários são revestidos a redes trabalhadas pelos pescadores da Apúlia [Esposende]”, conta André Bastos Teixeira, 42 anos, um dos fundadores da marca. O projeto de arquitetura ficou a cargo do atelier Skrei – “são verdadeiros artesãos” – e respeita as mesmas linhas da loja do Porto, instalada numa farmácia antiga.

Camisas lisas e com padrões, casacos, t-shirts, camisolas, chapéus, sacos, com tecidos que vão do linho ao algodão, da seda à malha, em modelos de corte intemporal e que espelham o objetivo da La Paz, fundada em 2011: “Ser uma marca de roupa masculina com qualidade e com um posicionamento alto, para competir no mercado estrangeiro.” Com imagem assente no mar português, no gosto dos pais e avôs de André e José Miguel Abreu, 44 anos, o outro fundador, tem a inspiração “no bem vestir, mas mais do lado dos pescadores do que dos iates polidos”, brinca André. Não foi à toa que escolheram o senhor Pereira, pescador de barbas brancas compridas, para ser a cara de todas as campanhas.

D.R.

A marca foi inicialmente pensada apenas para exportação, os sócios aproveitaram a proximidade da indústria têxtil do Norte para montar a primeira coleção e levaram-na às principais feiras internacionais do setor. Estão hoje presentes em mais de 15 países, da vizinha Espanha à longínqua Austrália, mas a abertura da primeira loja no Porto, em 2014, e agora da segunda em Lisboa trouxe também clientela portuguesa. “Vendemos muitas t-shirts, camisolas, camisas. São peças intemporais, algo clássicas, e muitos modelos são continuados todas as estações.” Os preços andam entre €40 e €65 nas t-shirts, €95 e €150 nas camisas, €60 e €100 nas camisolas, e €80 nos fatos de banho. Tudo batizado com nomes de famílias portuguesas, por isso não estranhe ler “Leão”, “Cunha”, “Ribeiro” ou “Lemos” nas caixas de peixe das paredes.

La Paz > R. das Flores, 16, Lisboa > seg-sáb 11h30-20h, dom 15h-20h