Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

PDB Stores: Carimbo português nas lojas da Porto Design Biennale, em Matosinhos e no Porto

Comprar

Cerâmica, mobiliário, candeeiros em cortiça, tapetes de lã e livros de artista antecipam, em duas lojas em Matosinhos e no Porto, a primeira Porto Design Biennale, que decorrerá em 2019

Os candeeiros da portuguesa Orikomi, a partir €49,90
1 / 6

Os candeeiros da portuguesa Orikomi, a partir €49,90

Lucília Monteiro

O projeto Tasa recupera técnicas artesanais algarvias e aplica-as em peças com design contemporâneo, como saleiros, cestas, fruteiras e vassourinhas, a partir €12
2 / 6

O projeto Tasa recupera técnicas artesanais algarvias e aplica-as em peças com design contemporâneo, como saleiros, cestas, fruteiras e vassourinhas, a partir €12

Lucília Monteiro

Fica no quarteirão da Real Vinícola uma das lojas da Porto Design Biennale (PDB Store). No Porto, as peças estão à venda no Palacete Viscondes de Balsemão
3 / 6

Fica no quarteirão da Real Vinícola uma das lojas da Porto Design Biennale (PDB Store). No Porto, as peças estão à venda no Palacete Viscondes de Balsemão

Lucília Monteiro

Peças em barro preto de Bisalhães e cortiça da Aromacork, a partir €19,95
4 / 6

Peças em barro preto de Bisalhães e cortiça da Aromacork, a partir €19,95

Lucília Monteiro

Mesas de apoio modulares em cortiça da COMO, da designer alemã Irena Übler, a partir €189
5 / 6

Mesas de apoio modulares em cortiça da COMO, da designer alemã Irena Übler, a partir €189

Lucília Monteiro

Tapete artesanal da designer têxtil Vanessa Barragão, 10 mil euros
6 / 6

Tapete artesanal da designer têxtil Vanessa Barragão, 10 mil euros

Lucília Monteiro

Falta menos de um ano para a primeira Porto Design Biennale (PDB) – entre setembro e dezembro de 2019, repartida entre Porto e Matosinhos –, mas a bienal, que pretende “pensar o novo milénio e o lugar do design num quadro de mudança”, já se mostra em duas lojas abertas há pouco mais de dois meses. À de Matosinhos, a funcionar no edifício da Real Vinícola (a outra loja fica no Porto, no Palacete dos Viscondes de Balsemão), vão chegando, aos poucos, peças com carimbo português, em diferentes materiais. Ao fundo, na parede, está um belíssimo tapete em lã, feito com técnicas artesanais pela designer têxtil Vanessa Barragão, que se inspirou nos recifes de corais. É a peça mais cara (10 mil euros), mas serve de montra ao que de melhor se vai fazendo, no que ao design contemporâneo português diz respeito. Também as capas Ilha, feitas à mão em burel, recentemente lançadas pela marca À Capucha, seguem a mesma filosofia.

Pelas mesas e armários, viajamos através da criatividade nacional, a partir de diferentes materiais: as cerâmicas da Lágrima, da Círculo Ceramics e da Madre; as peças do projeto Tasa (cesta, fruteira, saleiro, banco), feitas a partir das artes tradicionais do Algarve; os bancos em cortiça da Como, de Irena Übler; os candeeiros da Vícara, da Musgo e da Orikomi; as joias de Liliana Guerreiro, Joana Ribeiro e Inês Araújo; os tapetes da GUR e os minhotos (figuras) de madeira da Modernística. Há ainda livros de artista, de Siza Vieira a Nikias Skapinakis. E embora a aposta das PDB Store seja no design contemporâneo, ali também há lugar para algum artesanato, como os mochos de Júlia Côta (€130).

José Bártolo, diretor da Escola Superior de Arte e Design (ESAD) e curador da Porto Design Biennale, organizada em conjunto com as autarquias do Porto e de Matosinhos, lembra que uma das missões da bienal será “contribuir ativamente para a produção de design português”, pelo que as lojas funcionam como “elemento de aproximação entre o designer e a indústria”.

“Tensões do Novo Milénio” é o tema da primeira Porto Design Biennale, que terá a Itália como país convidado. A primeira exposição, sobre o artista e designer Riccardo Dalisi, está agendada para março de 2019.

PDB Store > Real Vinícola > Av. Menéres, 456, Matosinhos > ter-dom 14h-18h30 > Palacete Viscondes Balsemão > Pç. de Carlos Alberto, 71, Porto > seg-sáb 10h30-19h