Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

A The Caveman, em Ponte de Lima, junta moda e bicicletas

Comprar

Com um projeto de arquitetura premiado em Nova Iorque, esta loja de streetwear masculino em Ponte de Lima reúne tendências de design de várias áreas

os materiais em estado puro, como o betão, o cimento, o aço galvanizado e a madeira, deixam sobressair malhas, camisas, polos, denim, acessórios e calçado desportivo

os materiais em estado puro, como o betão, o cimento, o aço galvanizado e a madeira, deixam sobressair malhas, camisas, polos, denim, acessórios e calçado desportivo

Lucilia Monteiro

Distinguido pelo American Architecture Prize, em Nova Iorque, no final do ano passado, o projeto assinado pelo arquiteto Tiago do Vale criou uma loja flexível, com uma imagem “crua, bruta e visualmente acessível”. Filipe Pinto, o proprietário, acompanhou de perto os passos da transformação desta sapataria dos anos 90, que se restabeleceu à sua forma original. Sem tetos falsos, chão flutuante ou papel de parede, o arquiteto expôs a altura do pé-direito e a transparente ligação à rua. “Conseguiu fazer uma coisa brilhante, que foi adaptar uma loja antiga fazendo sobressair os artigos”, salienta.

É irresistível ficar-se alguns minutos a espreitar da montra. No interior, os materiais em estado puro, como o betão, o cimento, o aço galvanizado e a madeira, deixam sobressair malhas, camisas, polos, denim, acessórios e calçado desportivo. São peças descontraídas, mas de linhas sóbrias. Além das sapatilhas leves da americana Saucony e das mochilas impermeáveis da Doughnut, com diversos modelos e tamanhos (€60 a €80), há as camisas, malhas e t-shirts (€40 a €50) de textura suave da dinamarquesa Anerkjendt, os modelos irreverentes da francesa Sixth June e a coleção sustentável da Cheap Monday. “Não faz sentido ter peças a preços para os quais não temos clientes”, diz, enquanto mostra o armazém e a cabina de prova, dissimulados atrás do expositor de roupa.

Na The Caveman, Filipe Pinto segue a tendência atual, aliando o vestuário e o calçado urbano à mobilidade. Assim, no centro da loja, junto à dupla de sofás, encontram-se três bicicletas diferentes e, na parede em frente, os acessórios para as reparar, caso seja necessário. Para passear sugere-se a da marca espanhola Coluer, um modelo urbano, de estilo vintage, fabricado em Vagos (€325), ou a belga Achielle, que pode ser customizada à la carte (€870), e, para os mais apressados, há uma réplica de uma das primeiras bicicletas de corrida, com punhos e selim em cabedal. As tendências de cidades como Nova Iorque, Paris ou Bruxelas passeiam-se, agora, na recatada vila de Ponte de Lima.