Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Da sala ao escritório: seis móveis com assinatura à venda na nova Casa da Arquitetura

Comprar

As seis peças de mobiliário do Projeto Martins, criado em 2007 pela empresa Paularte, de Braga, estão à venda na nova Casa da Arquitetura, em Matosinhos, durante os próximos três meses

As seis peças de mobiliário do Projeto Martins, criado em 2007 pela empresa Paularte, de Braga, estão à venda na nova Casa da Arquitetura, em Matosinhos, durante os próximos três meses. São móveis com assinatura de arquitetos como Carvalho Araújo, Pedro Ramalho, Virgínio Moutinho, Luísa Penha, Maria Manuel Oliveira e João Azinheiro. O Projeto Martins, coordenado por Nuno Miguel Borges, está ainda a desenvolver uma peça exclusiva para a Casa da Arquitetura.

Cadeira Pené - Foi a primeira cadeira do Projeto Martins, desenhada por Pedro Ramalho, e fabricada em carvalho e ecopele (€398). Evoluiu a partir da ideia de uma cadeira “reduzida e empilhável” que o arquiteto preparava para a renovação do Teatro de Valadares, em Caminha. Na fase de desenho, Pedro Ramalho estudou a inclinação dos braços para que estes “descansassem em cima dos braços da própria cadeira", explica
1 / 6

Cadeira Pené - Foi a primeira cadeira do Projeto Martins, desenhada por Pedro Ramalho, e fabricada em carvalho e ecopele (€398). Evoluiu a partir da ideia de uma cadeira “reduzida e empilhável” que o arquiteto preparava para a renovação do Teatro de Valadares, em Caminha. Na fase de desenho, Pedro Ramalho estudou a inclinação dos braços para que estes “descansassem em cima dos braços da própria cadeira", explica

Byo-Bu - O biombo desenhado pela arquiteta Luísa Penha junta a madeira de tola com o burel da Serra da Estrela (€1296). Existe em duas versões: um biombo com um painel em burel amarelo canário e dois painéis em amarelo-torrado, e outro com os três painéis em tecido verde néon. “Precisava de um biombo para uma obra, e tinha encontrado um tecido numa viagem que tinha achado interessante”, conta a arquiteta que diz ter juntado “o útil ao agradável”
2 / 6

Byo-Bu - O biombo desenhado pela arquiteta Luísa Penha junta a madeira de tola com o burel da Serra da Estrela (€1296). Existe em duas versões: um biombo com um painel em burel amarelo canário e dois painéis em amarelo-torrado, e outro com os três painéis em tecido verde néon. “Precisava de um biombo para uma obra, e tinha encontrado um tecido numa viagem que tinha achado interessante”, conta a arquiteta que diz ter juntado “o útil ao agradável”

Millepede - Um “móvel escultura”, de sala, com duas gavetas e quatro portas, criado pelo arquiteto Virgínio Moutinho como se fosse “um móvel em movimento”. “É a reinterpretação de um móvel clássico com um olhar lúdico e de jogo, com um certo humor”, explica. O móvel (€1995) usa a madeira escura, de pau-ferro, o pau cetim e a faia
3 / 6

Millepede - Um “móvel escultura”, de sala, com duas gavetas e quatro portas, criado pelo arquiteto Virgínio Moutinho como se fosse “um móvel em movimento”. “É a reinterpretação de um móvel clássico com um olhar lúdico e de jogo, com um certo humor”, explica. O móvel (€1995) usa a madeira escura, de pau-ferro, o pau cetim e a faia

Pendureiro - Suporte de roupa desenhado pelo arquiteto João Azinheiro e pela artista plástica Silvia Krivosikova, que combina as cores violeta, vermelho e castanho, de forma desigual. O valchromat (painel de fibras de madeira) foi o material usado neste pendureiro (€517) pensado para pendurar casacos, cachecóis e bengalas, com duas prateleiras de um dos lados para guardar chaves, cartas ou outros objetos
4 / 6

Pendureiro - Suporte de roupa desenhado pelo arquiteto João Azinheiro e pela artista plástica Silvia Krivosikova, que combina as cores violeta, vermelho e castanho, de forma desigual. O valchromat (painel de fibras de madeira) foi o material usado neste pendureiro (€517) pensado para pendurar casacos, cachecóis e bengalas, com duas prateleiras de um dos lados para guardar chaves, cartas ou outros objetos

UEA (Uma Espécie de Armário)- A peça criada pelo arquiteto Carvalho Araújo partiu do desafio de desenhar um armário. “Uma tarefa ingrata pois um armário é uma caixa com portas. A forma de contrariar a situação foi fazer uma crítica ao conceito de armário e desenhar uma nova peça”, conta. O UEA (€2020) tem um trabalho de marcenaria portuguesa, feito a partir das madeiras de sucupira e tola
5 / 6

UEA (Uma Espécie de Armário)- A peça criada pelo arquiteto Carvalho Araújo partiu do desafio de desenhar um armário. “Uma tarefa ingrata pois um armário é uma caixa com portas. A forma de contrariar a situação foi fazer uma crítica ao conceito de armário e desenhar uma nova peça”, conta. O UEA (€2020) tem um trabalho de marcenaria portuguesa, feito a partir das madeiras de sucupira e tola

Pap - A arquiteta Maria Manuel Oliveira inspirou-se nos móveis das livrarias antigas para desenhar o Pap, onde três andares são diferenciados, respeitando as diferentes alturas dos livros. “Também imaginei a livreira como um móvel onde se podem recolher alguns objetos”, diz a autora. Pau-cetim e a panga panga foram os materiais escolhidos para o Pap (€715) que roda e se assemelha a um paralelepípedo
6 / 6

Pap - A arquiteta Maria Manuel Oliveira inspirou-se nos móveis das livrarias antigas para desenhar o Pap, onde três andares são diferenciados, respeitando as diferentes alturas dos livros. “Também imaginei a livreira como um móvel onde se podem recolher alguns objetos”, diz a autora. Pau-cetim e a panga panga foram os materiais escolhidos para o Pap (€715) que roda e se assemelha a um paralelepípedo