Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Out Of The Closet Lisbon: Bom-gosto e bom senso

Comprar

Ao Príncipe Real, em Lisboa, nasce uma loja de roupa em segunda mão, de marcas de primeira água. Peças bonitas, escolhidas por quem sabe o que faz e – pormenor relevante – vendidas a preços razoáveis

Na Out Of The Closet Lisbon, que possui peças dos anos 50 até aos dias de hoje, tudo está organizado por tipo de peça: casacos, camisas, saias, vestidos e acessórios

Na Out Of The Closet Lisbon, que possui peças dos anos 50 até aos dias de hoje, tudo está organizado por tipo de peça: casacos, camisas, saias, vestidos e acessórios

Mario Joao

É como se fosse o sol e a lua, o lado solar e o lado lunar, as luzes e as sombras da personalidade de cada um que, depois, se refletem nas peças que selecionam. Ela é o sol desta conversa, ele é a lua, ela é Ana Pereira da Silva, ele é Miguel Franco e, em outubro, abriram, na Rua de São Marçal, ao Príncipe Real, a Out Of The Closet Lisbon.

A entrada faz-se pela porta da Espalhafato, uma loja de velharias e móveis não recuperados e cheios de memórias. No saguão do prédio, nasceu a Out Of The Closet Lisbon e, se dúvidas houvesse, está lá a placa da toponímia parisiense a indicá-la: estamos na Avenue Chanel Nº 5 e, no meio da sala, há revistas para folhear.

Ana embirra com a palavra, mas, à falta de melhor e em nome da eficácia jornalística, usemo-la, que ela não nos leva a mal. A Out Of The Closet Lisbon vende roupa, roupa vintage. “Quando comecei a comprar, nem se usava a palavra. Dizia-se que era roupa antiga, em segunda mão”, conta Miguel. Ana, por seu lado, admite que gostava que “as mulheres usassem o vintage sem vergonha”. “Tem é de ser misturado, readaptado, mas é muito melhor do que comprar réplicas de peças de décadas passadas”, conclui Miguel.

A loja em nada se parece com as lojas desarrumadas, cheias de relíquias amontoadas, a exigir coragem e força braçal por parte de quem pretende comprar. Aqui, tudo está mais do que limpo e passado a ferro, e arrumado por tipo de peça: casacos, camisas, saias, vestidos curtos, vestidos compridos. Nos acessórios, há sapatos, malas, lenços, colares, brincos, pulseiras… Dos anos 50 até aos dias de hoje, de marcas de primeira linha, Dolce & Gabbana, Rochas, Guy de la Roche, Armani Collezione, por aí fora.

As que foram selecionadas por Ana são, lá está, mais coloridas, as trazidas por Miguel são manifestamente mais sóbrias. Numas e noutras, há sempre um pormenor a destacar, uma manga, uma aplicação, uma gola, um tecido, uns botões especiais – e é nesses pormenores que reside a sua arte de bem escolher. Por falar em pormenores, falta ainda acrescentar que, na Out Of The Closet Lisbon, “não há batota”, como diz Ana. Ou seja, nada de preços exorbitantes. Um pormenor com toda a importância, de resto. Não é, afinal, assim com todos os pormenores?

Mário João

Out Of The Closet Lisbon > R. de São Marçal, 107, Lisboa > T. 96 134 7795 > seg-sáb 12h-20h