Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Três (bons) sítios onde saborear presunto, em Lisboa

Comer e beber

Nestas três casas em Lisboa, é obrigatório provar o presunto pata negra, a mais especial das iguarias da charcutaria de porco. Seja numa tábua, acompanhado por um bom vinho ou por queijos, seja numa sanduíche rústica

No Genuíno, o presunto é fatiado à mão e pode ser consumido na loja ou levado para casa

No Genuíno, o presunto é fatiado à mão e pode ser consumido na loja ou levado para casa

Paulo Castanheira

1. Genuíno – Atelier do Presunto
Não é um bar nem um restaurante, até porque não tem cozinha. O Genuíno é uma loja, onde o presunto é fatiado à mão, podendo ser ali degustado numa pequena tábua ou levado para casa, em embalagens em vácuo (ganhando durabilidade). Em Portugal, existem as charcutarias, que acabam por misturar o presunto com outros enchidos e com queijos, mas Frederico Collares Pereira, empresário ligado à restauração, sentia falta da componente de degustação, tão presente nas tiendas um pouco por toda a Espanha.

Escolheu presuntos de várias proveniências, para agradar a todos os gostos. Nesta casa em Campo de Ourique, com esplanada no Largo Dr. António Viana, prova-se Cinco Jotas, o Rolls-Royce dos presuntos espanhóis; Señorio de Montanera, da região da Estremadura; Casa do Porco Preto de Barrancos; Fratelli Beretta, o italiano Prosciutto di Parma DOP (menos intenso, ideal para acompanhar melão, mozzarella, salada) e Bayonne da zona do País Basco francês, nos Pirenéus Atlânticos. A autenticidade do presunto pata negra nas suas várias origens. R. Silva Carvalho, 52C, Lisboa > T. 21 132 9769 > seg-sex 12h-21h, sáb 10h-14h

A espanhola Beher está na terceira geração da família de Bernardo Hernández

A espanhola Beher está na terceira geração da família de Bernardo Hernández

José Carlos Carvalho

2. Beher
Se o pequeno-almoço é a refeição mais importante do dia, há que investir nela. Em qualidade e em sabor. Nesta loja e restaurante da marca espanhola Beher, com 90 anos de tradição, dentre os seis menus de pequenos-almoços, o Espanhol é o mais pedido, com uma tostada ibérica com tomate e azeite, sumo de laranja ou refrigerante e café (€7,20). Depois da abertura, há dois anos, da primeira loja no Porto, na Rua Sá da Bandeira, a Beher de Salamanca instalou-se em Lisboa, no fim de 2018. Quem passa pela pedonal Rua de Santa Justa, dificilmente resiste à tentação daquela montra. À medida que o cortador Lucas Sousa vai fatiando o presunto, vai também compondo as baguetes de pão e a montra fica cada vez mais apetitosa.

Antes do meio-dia, já há turistas a comprar as sanduíches de presunto (€5,80), para seguirem caminho com o estômago reconfortado. No expositor interior, são 17 as variedades de fatiados, desde chouriço a salsichão, lombo e paleta. O presunto 100% ibérico pata negra distingue-se por ser mais leve e mais elegante do que o presunto do sul de Espanha, mais forte e com um ponto de sal mais carregado. Apesar de alimentar alguns porcos em solo português, a Beher, negócio já na terceira geração da família de Bernardo Hernández, é uma das 110 empresas de presunto existentes em Guijuelo, conhecida pelo seu microclima ideal para a cura. R. da Prata, 249, Lisboa > T. 21 887 0479 > seg-dom 9h-23h

As tábuas de pata negra português, de porcos alentejanos alimentados a bolota, são as mais pedidas n' O Bar da Odete

As tábuas de pata negra português, de porcos alentejanos alimentados a bolota, são as mais pedidas n' O Bar da Odete

José Carlos Carvalho

3. O Bar da Odete
Os 28 presuntos pendurados na montra vincam bem ao que vamos. O Bar da Odete, o balcão de vinhos do Mercado da Ribeira, evoluiu há dois anos e aos vinhos portugueses acrescentou o presunto, numa loja nos Restauradores, no mesmo edifício do hotel Altis Avenida. Seja nos 12 lugares da esplanada seja na sala interior, o mais pedido são as tábuas de pata negra português, de porcos alentejanos alimentados a bolota, com uma cura mínima de dois anos. Juntamente com as lascas de presunto, servem tostas de pão alentejano, três queijos nacionais (de cabra curado da Beira Baixa, de ovelha reserva com 18 meses de cura e da Serra da Estrela), com doce de figo com vinho do Porto e nozes.

Já nas sanduíches de pão de Mafra, pode juntar-se queijo da serra, vinagrete de azeite e salsa ou pimenta da terra dos Açores. Quem ficar sentado ao balcão, poderá apreciar a arte do cortador e não há nada como a prática e a noção de como aproveitar um produto com uma elevada taxa de desperdício (60%). Neste wine bar, todos os vinhos ali à venda são passíveis de harmonizar com o presunto. Nada é descabido e tudo é servido a copo, até o Barca Velha de 2008 por 172 euros. R. do Jardim do Regedor, 47B, Lisboa > T. 96 254 9389 > seg-dom 10h-24h