Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Memoria: Uma trattoria feita de tradições, em Lisboa

Comer e beber

Campo de Ourique tem um novo restaurante italiano que apela às recordações de casa das avós, numa cozinha baseada em produtos autênticos de Itália e receitas simples. Eis o Memoria, em Lisboa

Mariana Correia de Barros

Com cerca de 50 lugares, em breve vão abrir mais uma esplanada virada para o jardim e uma zona de bar, nas traseiras. “Apostámos nos cocktails à base de Spritz, que podem ser pedidos a jarro ou em dose individual.” Copo puxa conversa, já se sabe, por isso este é um restaurante para vir sem horas

Com cerca de 50 lugares, em breve vão abrir mais uma esplanada virada para o jardim e uma zona de bar, nas traseiras. “Apostámos nos cocktails à base de Spritz, que podem ser pedidos a jarro ou em dose individual.” Copo puxa conversa, já se sabe, por isso este é um restaurante para vir sem horas

Em quase todas as boas histórias da cozinha italiana há uma nonna (avó), cujos pratos e ensinamentos são recuperados e recontados à mesa décadas depois. No Memoria – escrito à italiana, sem acento –, novo restaurante de Campo de Ourique, não existe nenhuma avó de Itália, mas sim uma recriação dessa cultura familiar de estar à mesa sem horas, de dividir um grande prato de massa e de cozinhar o receituário e os produtos tradicionais italianos.

Em frente ao Jardim da Parada, com duas simpáticas (e já concorridas) esplanadas nas traseiras, o Memoria é a terceira aventura do grupo Non Basta, em Lisboa. E traz algumas nuances face aos Pasta Non Basta de Alvalade e das Avenidas Novas. Se estes apresentam uma onda mais urbana e pop, o Memoria tem uma oferta diferente, mais criativa. Nota-se um cuidado especial na arquitetura e no design de interiores, num projeto assinado por Inês Moura, onde os tons de terracota e os mármores contrastam com os pretos e encarnados. “Tínhamos planeado ter cinco Pasta Non Basta, em vários bairros. Decidimos seguir por uma cozinha italiana diferente, com outra liberdade”, explica Frederico Seixas, um dos sócios do grupo.

Há alguns pratos transversais, como as pizzas de massa fina, cozinhadas em forno de lenha, entre elas a Pasta Non Basta, com pancetta, cogumelos, azeitonas e cebola (€14), ou as massas frescas caseiras, exemplo do popular spaghettoni al tartufo (€14), mas também apresentam várias novidades. A começar, um conjunto de queijos e enchidos italianos, quase todos com selo DOP, como o taleggio di Bergamo (€5) e o presunto San Daniele (€6); nas entradas, uma salada de tomate da nossa horta (€7) – há vários legumes e ervas aromáticas que chegam da horta do grupo, na zona de Mafra; nas pastas, o pappardelle al ragù di coniglio (coelho, €14) e três pratos XL de massa para dividir por três pessoas, como o linguine nero al pescatore (€38, €14 para uma pessoa); quanto às pizzas, para experimentar um dos produtos italianos do momento, peça a Memoria (€11), que leva Nduja, um salame picante para barrar, típico da Calábria.

Memoria > R. 4 da Infantaria, 26A, Lisboa > T. 21 099 8366 > seg-qui 12h-15h, 19h-22h30, sex 12h-15h, 19h-23h30, sáb 12h30-23h30, dom 12h30-22h30