Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

No Tsukiji, aproveita-se o peixe todo. Da cabeça à cauda, das escamas às barbatanas

Comer e beber

Aos oito lugares do Kanazawa, Paulo Morais soma agora mais 90. No Tsukiji, em Lisboa, o chefe de cozinha aposta numa ementa descontraída, especializada em peixes e em mariscos, com desperdício zero

Trio de ostras: granita de maçã, espuma de ostra, pérola de yuzu e pinhão; espuma de molho de soja e segmento de lima
1 / 9

Trio de ostras: granita de maçã, espuma de ostra, pérola de yuzu e pinhão; espuma de molho de soja e segmento de lima

D.R.

Ceviche de ouriço do mar frito e ao vapor com leche de tigre e de coco
2 / 9

Ceviche de ouriço do mar frito e ao vapor com leche de tigre e de coco

D.R.

Carpaccio de wagyu, kizami, wasabi, ovas de salmão, chips da casa, flor de sal
3 / 9

Carpaccio de wagyu, kizami, wasabi, ovas de salmão, chips da casa, flor de sal

D.R.

No Wine & Sake Bar, que funciona na entrada do Tsukiji, repousam cerca de 150 vinhos portugueses, champanhes franceses e saqués japoneses. Ali, a ementa aposta em diferentes petiscos, como salmouras, fumados e conservas
4 / 9

No Wine & Sake Bar, que funciona na entrada do Tsukiji, repousam cerca de 150 vinhos portugueses, champanhes franceses e saqués japoneses. Ali, a ementa aposta em diferentes petiscos, como salmouras, fumados e conservas

D.R.

Bebinca, sobremesa preparada com gelado de amendoim, crumble de especiarias e crocante de coco e macadâmia
5 / 9

Bebinca, sobremesa preparada com gelado de amendoim, crumble de especiarias e crocante de coco e macadâmia

D.R.

Sashimi moriawase (12 peças)
6 / 9

Sashimi moriawase (12 peças)

D.R.

No novo restaurante de Paulo Morais, aposta-se numa ementa descontraída, especializada em peixes e em mariscos, com desperdício zero
7 / 9

No novo restaurante de Paulo Morais, aposta-se numa ementa descontraída, especializada em peixes e em mariscos, com desperdício zero

D.R.

Na decoração, saltam à vista os candeeiros feitos com cordas e escamas, e a pedra lioz vai buscar as tonalidades dos mariscos. Pormenores que se estendem às originais fardas criadas pela designer Alexandra Moura ou à instalação em macramé
8 / 9

Na decoração, saltam à vista os candeeiros feitos com cordas e escamas, e a pedra lioz vai buscar as tonalidades dos mariscos. Pormenores que se estendem às originais fardas criadas pela designer Alexandra Moura ou à instalação em macramé

D.R.

Uma sala mais privada, ideal para grupos pequenos
9 / 9

Uma sala mais privada, ideal para grupos pequenos

D.R.

No novíssimo restaurante Tsukiji, do chefe Paulo Morais, em Belém, evita-se o desperdício do produto. Ali, mostra-se que a sustentabilidade é um assunto levado a sério na hora de se confecionar os pratos, maioritariamente de peixe e de marisco, com receitas de inspiração asiática, predominantemente japonesa. Ou não fosse Paulo Morais um especialista na cozinha nipónica, sem esquecer a chinesa, a vietnamita e a tailandesa. “Na lista, temos peixes nobres, como o bacalhau, o robalo, o pargo, mas a ideia é usarmos espécies menos conhecidas, que não estejam em vias de extinção, e mostrar diferentes formas de confeção”, explica o chefe, que comanda também o restaurante Kanazawa, em Algés.

No Tsukiji (o nome é inspirado no maior mercado de peixe do mundo, em Tóquio), descobrem-se vários recantos, começando pelo Wine & Sake Bar, logo à entrada, seguindo-se o bar de cocktails e o sushi bar, onde se destaca o grelhador a carvão japonês (robata) e a área de preparação do sushi. É na banca do peixe fresco que Paulo Morais mostra as diferentes espécies, explicando o que consegue criar, por exemplo, com um boca-negra, ou cantarilho, pescado nos Açores. “Com as escamas, fazemos chips e com a cabeça um caldo rico. Já as vísceras (bexiga e fígados) resultam num prato avinagrado. Se se tratasse de um robalo, sugeria ao sal; um goraz fica bem grelhado, e um pregado ou peixe--galo dão bons filetes fritos, acompanhados com arroz. Adaptamos ao gosto e preferência de cada um. Tudo depende do que o cliente quiser comer.”

Já na mesa, experimentam-se as vieiras com puré de ervilha, salmão fumado, rebentos de wasabi e chips de pastinaca, raiz de aipo e batata-doce (€15), o ceviche de ouriço-do-mar frito e ao vapor, leche de tigre e leite de coco (€10) e um delicioso carpaccio de misto de peixes, salada, molho tailandês e raspas de fígado de tamboril (€9). Nos pratos mais compostos, sugere-se o bacalhau assado, batatas sob vácuo, grelos salteados, picles de alho e de daikon (€19) e o pargo braseado, abóbora assada, amendoim com miso, endívias ao molho coreano (€14). Na robata, grelham-se peixes, mariscos e carne maturada ao quilo, e há ainda sushi e sashimi.

Na decoração, saltam à vista os candeeiros feitos com cordas e escamas, e a pedra lioz vai buscar as tonalidades dos mariscos. Pormenores que se estendem às originais fardas criadas pela designer Alexandra Moura ou à instalação em macramé. Longe dos bairros da moda, Paulo Morais diz: “Estou contente por estar nesta zona nobre e turística da cidade.” Nós também.

Tsukiji > R. dos Jerónimos, 12, Lisboa > T. 96 320 9315 > seg-qui 12h15-15h, 19h-23, sex-dom 12h-24h