Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Pêra-Manca Tinto 2014: Alentejo maior

Comer e beber

É grande a fama e é grande o preço, mas o que se agiganta neste vinho é sobretudo a qualidade. A opinião do crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva, sobre a colheita de 2014 do Pêra-Manca tinto que acaba de chegar ao mercado

O lançamento de um Pêra-Manca tinto é sempre notícia de página inteira ou tema exclusivo de uma rubrica como esta, por se tratar de um vinho icónico, aguardado com grande interesse pelo mercado e, particularmente, pelos enófilos. A colheita de 2014, que acaba de ser apresentada, supera as expectativas e convence toda a gente: é um vinho realmente excecional. Produzido, pela primeira vez, em 1990 – o que é surpreendente, dado que a uma história tão breve corresponde uma fama imensa em Portugal e no Brasil, exercendo aqui um fascínio só comparável ao do Barca Velha –, o Pêra-Manca conta 15 colheitas, em anos considerados “de exceção” (1990, 1991, 1994, 1995, 1997, 1998, 2001, 2003, 2005, 2007, 2008, 2010, 2011, 2013 e 2014).

A última edição do mais emblemático vinho tinto da Fundação Eugénio de Almeida é de 21 mil garrafas, cuja autenticidade é garantida, desde a colheita de 2011, por um sistema de segurança com um código único associado à utilização de uma imagem holográfica (a fama tinha atraído a fraude e havia que pôr termo a tamanha perversidade). Pedro Baptista, enólogo responsável por mais esta obra de arte, não tem dúvidas de que “o Pêra--Manca Tinto 2014 corresponde aos critérios de qualidade extrema a que este vinho obriga e as suas características excecionais fazem prever uma grande capacidade de evolução”.

As uvas foram colhidas em talhões selecionados nas vinhas com mais de 35 anos – dois com a casta Aragonez e um com Trincadeira que, desta vez, tem o predomínio. Fermentou em balseiros de carvalho francês, seguindo-se a maceração pós-fermentativa prolongada, estágio de 18 meses em tonéis de carvalho francês e, depois, em garrafa, nas caves do Mosteiro da Cartuxa. Surpreendente frescura, impressionante concentração, recôndita harmonia.

Pêra-Manca DOC Alentejo – Évora Tinto 2014
Elaborado com base nas castas Trincadeira e Aragonês, como habitualmente, tendo, porém, maior percentagem de Trincadeira devido às características climáticas e ao estado de maturação das uvas. Tem cor granada profunda; aroma concentrado e complexo com notas de flores (tília) e de frutos (framboesa), balsâmicas (resina), balsâmicas vegetais, e muitas outras, todas nobres; paladar elegante, concentrado, com enorme e sedutora frescura, impondo-se os taninos muito finos e firmes a garantirem a sua longevidade. €220