Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Com massa-mãe e sem fermentos químicos, assim se faz o pão na Terrapão, no Mercado de Arroios

Comer e beber

Na nova padaria artesanal de Lisboa, no Mercado de Arroios, há pão de trigo e também focaccias italianas e baguetes francesas

Por dia, saem dois tipos de pão de fermentação lenta: o da casa, feito com espelta biológica, trigo e centeio, e o de trigo

Por dia, saem dois tipos de pão de fermentação lenta: o da casa, feito com espelta biológica, trigo e centeio, e o de trigo

Luis Barra

Já passava do meio-dia de um dia de semana e na Terrapão, aberta no início de janeiro, no Mercado de Arroios, em Lisboa, havia quem procurasse por pão acabadinho de fazer. Estas poucas semanas foram suficientes para que a clientela já saiba que, assim que as portas da pequena loja se abrem, há pão quente nos cestos e que, mais perto do almoço, saem focaccias e chapatas, por exemplo. Estas são as últimas fornadas do dia, até porque João Celestino, o padeiro, já anda de volta da massa que há de ficar a descansar durante 24 horas para ser cozida logo pela manhã.

Por dia, saem dois tipos de pão de fermentação lenta, explica Marta Figueiredo, proprietária da Terrapão e do restaurante Estrela da Bica, em Lisboa. O pão da casa, feito com espelta biológica, trigo e centeio (€3,20) e o pão de trigo (€3). Mas há outras opções: baguetes, broas de milho e de centeio, pães de sementes, focaccias, brioches e pães de leite, para levar para casa ou comer ali mesmo, com manteiga de ovelha artesanal (€1,50), peito de peru fumado caseiro (€2,50), tutano com vinagrete (€3,50) e cachaço fumado (€6,50).

Tudo começou em 2014 quando Marta decidiu começar a fazer pão para servir no seu restaurante, por não encontrar na cidade nenhum de qualidade. Mais tarde, conheceu João, que também já fazia pão, para consumo próprio, e desafiou-o a abrirem uma padaria. A vida profissional levou-o a trabalhar no estrangeiro, voltando no ano passado a Lisboa para embarcar nesta nova aventura chamada Terrapão. Preparado com farinhas de qualidade e de moleiro, massa-mãe, sal grosso algarvio, e sem fermentos químicos, assim se faz este pão mais saudável e nutritivo. E se entrar e já não sobrar nenhum, Marta garante: “Amanhã há mais.”

Luis Barra

Terrapão > Mercado de Arroios > R. Ângela Pinto, 40D, Lisboa > ter-sáb 9h-19h, dom 10h-16h