Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Vinhos Sogrape à conquista de Lisboa

Comer e beber

Segue, imparável, o crescimento e a consolidação do grupo Sogrape na liderança do setor do vinho, com a aquisição da Quinta da Romeira, em Bucelas. A opinião do crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva

Criada em 1942, por Fernando van Zeller Guedes, a Sogrape tornou-se um poderoso grupo de empresas e de marcas de vinhos, com liderança destacada do setor a nível nacional e presença internacional também relevante. Para ter uma noção da sua grandeza e da sua importância, atente-se nestes números: possui 22 quintas; cultiva 1 500 hectares de vinhas; detém cerca de 30 marcas de vinhos; produz diferentes tipos de vinhos: brancos, tintos, espumantes, vinhos do Porto e colheitas tardias; está em diferentes regiões de Portugal (Douro, Dão, Vinho Verde, Bairrada, Alentejo, Lisboa), de Espanha (Rioja, Rueda e Rias Baixas), da Argentina (Mendoza e Tupungato), do Chile (Cachapoal) e da Nova Zelândia (Marlborough)!

Entretanto, continua na posse e sob gestão da família Guedes, que vai na terceira geração. O seu portefólio, tão vasto como valioso – inclui, por exemplo, o Mateus Rosé (criação genial de Fernando van Zeller Guedes, que resultou na primeira marca global portuguesa de vinhos, cujo sucesso perdura em perto de centena e meia de países!) e o Barca Velha, certamente o mais prestigiado vinho português (tranquilo) –, foi agora enriquecido com as marcas da Quinta da Romeira, da região de Lisboa, sub-região de Bucelas. Tem 130 hectares, 75 dos quais plantados com vinhas, e dispõe de uma adega grande e moderna, de onde saem dois vinhos que preservam a memória dos grandes arintos de Bucelas: Morgado de Sta. Catherina e Prova Régia. O resto é floresta, um solar e jardins, num quadro natural de grande beleza, a dois passos de Lisboa.

Morgado de Sta. Catherina DOC Bucelas Reserva 2016
Só de uvas da casta Arinto, com fermentação cuidadosa que começa em cuba e termina em barricas, seguida de estágio na mesma madeira sobre as borras finas e depois em cuba. Belíssima cor citrina com reflexos dourados, aroma fino a frutos brancos e citrinos, com notas de baunilha e um vibrante toque mineral, paladar cheio, fresco, elegante, que impressiona e cativa. €9,69

Prova Régia Arinto DOC Bucelas 2017
Provém de uvas da casta Arinto, com fermentação em cuba, seguida de breve estágio sobre as borras finas e engarrafamento no ano da colheita, espelhando a casta que o dá, com a sua acidez de qualidade única. Cor citrina, aroma discreto com notas frutadas e florais, a que se juntam um toque mineral, um paladar também mineral e fresco com grande vivacidade e um final longo, garantido pela excelente acidez. €3,49