Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Tantos vinhos, meus senhores: Vamos lá experimentar!

Comer e beber

A apresentação de novidades até à última semana do ano que passou mostra a vitalidade de um setor cada vez mais dinâmico. A opinião do crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva, sobre a diversidade do mercado de vinhos

A lei do menor esforço é naturalmente sedutora e determina muitas das nossas opções, dispensando a conveniente avaliação da sua oportunidade e das alternativas existentes, porventura mais favoráveis. Influencia decisivamente os consumidores de vinho, tanto os que chegam ao exagero de dizer “vinho só tinto” como os que caem no equívoco de se aterem a um só estilo ou a uma só marca, excluindo o resto. A atitude desejável num mundo em mudança, como o do vinho, é a contrária, aquela que leva a descobrir e a experimentar. Assim se enriquece o conhecimento e se educa o gosto, que é sempre um processo por acabar.

Habituámo-nos a enaltecer a tipicidade, fator de identificação dos nossos vinhos que importa preservar, mas também é preciso que os produtores deem largas à sua criatividade e apresentem vinhos de outros estilos. Muitos têm vindo a fazê-lo. Entre outros exemplos, destacam-se, por estarem em voga, os vinhos ditos naturais, com intervenção mínima dos enólogos. Após um longo período de domínio dos novos métodos de vinificação, com tecnologias modernas, eis que surge um movimento em sentido contrário, a querer recuperar processos ancestrais, vinhas velhas, castas desprezadas, gostos perdidos.

Ao consumidor atento exige-se que saia da sua zona de conforto e que ouse experimentar. Os vinhos de estilo clássico que conhece e de que gosta são património seu e deverá permanecer intocável. Mas pode enriquecê-lo experimentando vinhos de outros estilos, entre tantos que há por aí. Terá, certamente, gratas surpresas. Apresentamos um trio de vinhos acessíveis em termos de gosto e de custo:

Quinta dos Lagares Rosé Mourisco 2017

Casta rara em rosés, mas este vai na segunda edição e recomenda-se com a sua belíssima cor rosa-clara, o aroma muito franco e fresco a frutos vermelhos, com um toque vegetal e o paladar também cheio de frescura, de suavidade e com uma estrutura que permite e agradece a guarda. €10

Quinta de Chocapalha Lisboa Tinto 2015

Lote de Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca, Castelão e Alicante Bouschet, com bela cor entre o vermelho e o violeta, aroma concentrado com boas notas de fruta madura e de especiarias e um toque floral, paladar fresco, marcado pelo equilíbrio e final longo, suave, agradável. €7,50

Gáudio Espumante Brut Nature 2016

Um espumante alentejano, 100% Antão Vaz, que é a casta branca rainha desta sub-região. É o primeiro espumante da Ribafreixo, e mostra-se sedutor: aspeto cristalino, cor suave, bolha fina e persistente, aroma fresco e frutado, paladar elegante e rico com mineralidade, frescura e harmonia. €15,75