Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Receita de Sopa de beterraba com pastinaga e rábano, por Jo Pratt

Comer e beber

Receita do livro Vegetariano em Part-time, de Jo Pratt, editado pela Arte Plural Edições

Susan Bell

"Vai querer certificar -se de que tritura a sopa com todo o cuidado, pois a última coisa que alguém deseja é uma explosão rosa-choque na cozinha! Além de ter uma cor incrível, esta sopa nutritiva tem um sabor fantástico, é muito fácil de fazer e pode ser servida quente ou fria." Jo Pratt

Tempo de preparação 1 hora e 15 minutos / Doses 6-8

Ingredientes

750 g de beterraba crua

400 g de pastinaga, descascada e cortada em quatro

Hastes de tomilho

6 dentes de alho, com casca

Azeite

2 c. de sopa de molho de rábano

5 c. de sopa de natas azedas

1 l de caldo de legumes

1 c. de sopa de vinagre de vinho tinto

1 c. de sopa de xarope de agave ou mel

Sal marinho e pimenta preta moída no momento

1 c. de sopa de cebolinho picado, para servir

Preparação

Pre-aqueça o forno a 200 °C.

Lave bem as beterrabas, retire os pés e corte cada uma delas em quartos. Coloque num tabuleiro de forno, juntamente com a pastinaga, o tomilho e o alho. Tempere com sal e pimenta e, depois, com azeite sufi ciente para que tudo fique ligeiramente coberto.

Tape com folha de alumínio e asse durante 50 minutos a 1 hora, até a beterraba se mostrar tenra quando lhe espetar um palito.

Entretanto, misture o rábano e as natas azedas. Tempere e reserve.

Quando estiver pronta, transfi ra a beterraba e a pastinaga para o robô de cozinha. Esprema o alho de dentro da casca e deite -o na liquidificadora, juntamente com o caldo, o vinagre de vinho tinto e o agave/mel. Triture até a sopa ficar completamente cremosa.

Tempere com sal e pimenta.

Se vai servir esta sopa quente, aqueça-a numa panela até que fervilhe. Se necessário, retifique os temperos. Sirva com uma colherada de natas azedas com rábano e polvilhe com o cebolinho.

Versão flexível

Sirva esta sopa com blinis aquecidos juntamente com as natas azedas de rábano e pequenas fatias de salmão fumado ou de rosbife mal passado.

A palavra é flexitarianismo (que junta "flexivel" e "vegetarianismo") para definir um regime alimentar que privilegia a ingestão de alimentos vegetais, relegando a carne, o peixe e os produtos de origem animal para segundo plano. Por outras palavras, é ser vegetariano em part-time, definição que dá título ao novo livro da inglesa Jo Pratt (chefe de cozinha, apresentadora e autora de vários livros de cozinha). Em 192 páginas, a autora reúne mais de 80 receitas de base vegetariana, com indicações sobre como acrescentar, caso o deseje, carne ou peixe. A inspiração vem das mais diversas tradições gastronómicas, do poke aos gnudi, do chili ao ramen, do risotto à tagine, passando pelos hambúrgueres e lasanhas. Vegetariano em Part-time (Arte Plural Edições, 192 págs., €18,80) inclui ainda uma lista do que não pode faltar na despensa, pela sua importância nutricional, e um capítulo dedicado à confeção de alguns pratos clássicos de carne e peixe.