Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Casta Tinto Cão: Discreta elegância

Comer e beber

Casta antiga – que dá vinhos elegantes e longevos, embora seja mais comum em lote – que enobrece. A opinião do crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva, sobre a casta Tinto Cão

O mundo do vinho é fascinante, mesmo visto de fora, como no meu caso, que não cuido da vinha nem manejo a adega e me limito, há trinta e tal anos, a prová-lo e a tentar compreendê-lo nas suas variadíssimas expressões. Também é uma das coisas mais reais que conheço, por me despertar os sentidos – todos os sentidos. E está entre as mais intrigantes, confrontando-nos com a sua irredutível individualidade: cada vinho tem a sua própria identidade, faz a sua história, deixa a sua marca.

Uma das coisas que me fascinam nesse mundo é a diversidade genética das videiras e a multiplicidade das castas, cada qual com as suas características. Em Portugal, a diversidade de castas é espantosa, constituindo um património inestimável. Algumas são incontroversas e bem conhecidas, outras nem tanto, como a Tinto Cão, que, no entanto, merece respeito. Muito antiga no Douro, presente desde longa data no Dão e mais recentemente introduzida noutras regiões do País, mas pouco cultivada devido à baixa produtividade, a Tinto Cão figura entre as cinco castas nobres para fazer vinho do Porto.

E nos anos favoráveis ao bom amadurecimento das suas uvas, lotada com outras castas, nomeadamente a Touriga Nacional, a Touriga Franca e a Aragonez, ou como monocasta, dá vinhos com grande elegância e longevidade, de cor carregada, aroma delicado a flores silvestres e a frutos vermelhos, paladar elegante com taninos poderosos e redondos em boa harmonia com a acidez e a estrutura aromática. Bem ilustrativo das virtualidades da casta é o Boa-Vista 2014, da Quinta da Boavista, distribuído pela Vinalda e ainda disponível nas boas garrafeiras. Mas também se nota a sua presença benéfica nos vinhos de lote, tanto de entrada como de topo de gama.

Quinta do Côtto Douro Tinto 2015
Feito com uvas das castas Touriga Nacional, Touriga Franca, Sousão, Tinto Cão e Tinta Roriz, tem cor rubi com tons violeta, aroma intenso a frutos vermelhos, com notas de flores e apontamentos de especiarias. Paladar harmonioso, taninos maduros, boa frescura e final longo. €8

Vale da Raposa Grande Escolha Tinto 2015
Uvas de vinhas velhas com 15 castas, sendo 40% Tinto Cão, deram este grande vinho de cor rubi profunda, aroma complexo com notas frutadas de ginja, florais de violeta, de chocolate preto e outras em boa harmonia. Paladar envolvente em equilíbrio perfeito, final longo todo feito de elegância. €27

Boa–Vista Tinto Cão 2014
Um monocasta bem revelador da sua grande valia, com aroma intenso a frutos e flores silvestres, com a violeta em evidência. Paladar elegante, com excelente fruta, taninos muito finos e acidez viva, tudo envolvido pela madeira, num conjunto equilibrado. €30