Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Vem aí outro Chryseia, da Prats & Symington

Comer e beber

Um dos vinhos portugueses de topo mais consistente na qualidade e acessível no preço. A opinião do crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva, sobre as novidades da Prats & Symington, do Douro

No mesmo dia em que anunciou a chegada ao mercado, em outubro/novembro, do Chryseia 2016, a Prats & Symington apresentou outros dois vinhos desta sua parceira: o Post-Scriptum e o Prazo de Roriz, ambos também de 2016. Com a mesma origem e diferentes perfis, estes vinhos – que resultam de uma joint-venture virtuosa entre Bruno Prats (produtor de Bordéus, antigo proprietário do Château Cos d’Estournel e um dos mais reputados enólogos mundiais) e a família Symington (proprietária de 27 quintas no Douro, com cerca de mil hectares de vinha, e de marcas tão famosas como Graham’s, Dow’s, Warre’s, Cockburn’s, Quinta do Vesúvio e Altano) – abarcam todo o universo de consumidores e merecem especial atenção dos enófilos.

O Chryseia gera sempre grande expectativa, por ser um vinho de excelência e por ter um preço que, no mínimo, é muito simpático. Tornou-se uma das grandes referências dos vinhos DOC Douro, reconhecido aquém e além-fronteiras. Da colheita de 2016, foram produzidas cerca de 39 mil garrafas. A qualidade é superlativa e, querendo procurar similitudes, temos de recuar a 2011 para encontrarmos aquele equilíbrio prodigioso de potência e finesse, aquele aveludado, aquela sedução, aquela plenitude.

Enquanto o Chryseia estagia em barricas novas de carvalho francês, de 12 a 15 meses, os lotes destinados ao Post-Scriptum e ao Prazo de Roriz estagiam no mesmo ambiente em madeira de segundo e terceiro anos, respetivamente. Só depois dos estágios é que a equipa de enólogos decide, em definitivo, o que vai ser Chryseia, Post-Scriptum e Prazo de Roriz. Observemos cada um deles.

Chryseia 2016
Elegância, equilíbrio e potência são palavras-chave para decifrar este vinho de aroma concentrado com fruta sedutora e delicadas notas florais, a que se juntam apontamentos balsâmicos e de especiarias, paladar com estrutura, força, elegância – um mundo de sensações na boca – e final interminável. Para beber, guardar, saudar. €55

Post-Scriptum de Chryseia 2016
Na linha do Chryseia, no que toca à intensidade do aroma e à expressividade da fruta; paladar volumoso, mas com equilíbrio, elegância e frescura, que o tornam apto para consumir desde já, embora tenha características para evoluir bem em garrafa; final elegante, longo e expressivo. €14,90

Prazo de Roriz 2016
Cor rubi de média intensidade, aromas primários, nítidos e puros, paladar cheio, frutado, fresco, jovem, com boa estrutura, muita fruta, taninos vivos bem domados e final elegante. Pronto para consumir, mas com potencial para evoluir em garrafa. €9