Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

No restaurante Bira dos Namorados, no Porto, cabe o Minho todo

Comer e beber

Há uma hamburgueria e pregaria artesanal minhota, no Porto, que nos quer pôr a dançar o vira – perdão, o ‘bira’! E ainda nos põe à prova com o jogo do stop

Colorido, no Bira dos Namorados não faltam motivos minhotos

Colorido, no Bira dos Namorados não faltam motivos minhotos

Lucilia Monteiro

Foi quando foram estudar para a Universidade do Minho, em Braga, que Mariana Marques e Diogo Carvalho, ambos com 33 anos, melhor conheceram a cultura minhota e por ela se apaixonaram. Ora, quatro anos depois de terem aberto o Bira dos Namorados – o nome é uma apologia ao vira (dança do folclore português) com a típica troca nortenha dos bês pelos vês –, decidiram replicar o negócio no Porto. E, desde o último verão, que ninguém tem ficado indiferente às cores vivas do restaurante e aos motivos a fazer lembrar os lenços dos namorados seja nos azulejos do balcão, seja nos pratos pintados à mão que nos chegam à mesa, ou mesmo no candeeiro do teto com um grande coração de Viana. Mariana e Diogo querem que quem venha ao restaurante “viva, sobretudo, uma experiência e se sinta em casa”.

Malhão, bailinho, machadinha ou birazinha são alguns dos nomes dados aos hambúrgueres

Malhão, bailinho, machadinha ou birazinha são alguns dos nomes dados aos hambúrgueres

Lucilia Monteiro

Ao som de música tradicional portuguesa, experimentem-se, pois, os hambúrgueres artesanais (a partir €7,20) feitos com produtos frescos – todos com nome de danças tradicionais portuguesas, como malhão, bailinho, machadinha, chamarrita, moda das saias ou o birazinha (o mais vendido no Porto, servido com molho de francesinha). Também os pregos (a partir €7), feitos com carne de vaca, seguem a mesma nomenclatura – fandango, ciranda, farrapeira e tirana são opções para comer, enquanto se imaginam essas danças.

Pataniscas, pica-pau, broa de Avintes tostada com queijo feta e caldo verde (só às sextas, sábados e domingos) são outros sabores a lembrar a cozinha tradicional minhota. À sobremesa, não falta o pudim abade de Priscos da premiada pastelaria Sàbiá e o cheesecake feito na The Cheesecake Story, duas conhecidas casas de Braga. Para beber, sugere-se a cerveja artesanal minhota Letra, Alma e Amphora – à pressão ou em garrafa.

Mas este, é também um restaurante para famílias e amigos passarem uma refeição animada. É que os individuais de papel vêm com desenhos para colorir e o tradicional jogo do stop, que tem posto à prova miúdos e graúdos. Só falta, mesmo, aprender a dançar o vira. Perdão, o ‘bira’!

Os azulejos do balcão rementem-nos para os motivos tradicionais dos lenços dos namorados

Os azulejos do balcão rementem-nos para os motivos tradicionais dos lenços dos namorados

Lucilia Monteiro

O restaurante tem uma loja onde se pode adquirir algum artesanato tradicional minhoto, como os lenços dos namorados, e produtos gastronómicos desta região.

Bira dos Namorados > R. de Ceuta, 61, Porto > T. 22 208 1009 > ter-qui 12h-23h, sáb-dom 12h30-23h30