Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Comida de fogo no novo Izanagi, em Lisboa

Comer e beber

Mais do que um novo restaurante japonês, o Izanagi faz parte de um projeto concertado para revitalizar as Docas, em Lisboa

Cátia Barbosa

Coisas simples e bem-feitas. Grelhados no carvão (robata), grelhados na chapa (teppan) e okonomiyaki (panqueca com ares de tortilha) marcam a diferença na ementa do novo restaurante do grupo SushiCafé, com larga experiência em comida asiática e com o chefe Daniel Rente, que continua a partilhar as suas experiências no Japão. Abençoado pelo nome de um deus da mitologia nipónica, o Izanagi integra um projeto a longo prazo, em parceria com a família Arié que tem uma participação no grupo do chefe José Avillez e em vários restaurantes nas Docas, para reabilitar esta zona da cidade transformada em terra-de-ninguém no eixo entre Belém e Alcântara. Temos saudades das Docas de há 23 anos – lembra-se do Op Art, do Assador Argentino Las Brasitas ou do Buddha Bar?

Okonomiyaki ou panqueca japonesa

Okonomiyaki ou panqueca japonesa

Cátia Barbosa

O Izanagi abriu no início de agosto, com 60 lugares no interior, e inclui esplanada virada para o Tejo e para a marina. Daniel Rente aposta em pratos tradicionais japoneses, privilegiando os produtos de qualidade, misturados com simples comida de rua. Nos “snacks e saladas”, o uso de chimichurri, molho usado habitualmente nas carnes na América Latina, combina na perfeição com o tataki de atum (€8,75). Já o Hamachi (€8,50), fatias de lírio com azeite de trufa, molho com ervas e nata azeda, foge completamente aos cânones japoneses e faz crescer água na boca. Os apreciadores de comida na brasa podem deliciar-se com o mix de robata (€19,75) que traz espargos grelhados com pancetta, salmão, barriga de porco com molho barbecue e novilho – tudo passível de vir para a mesa em doses separadas. Porém, a protagonista é mesmo a okonomiyaki (€13,25), que muitos chamam panqueca japonesa, mas que nós achamos mais parecida com uma tortilha (mesmo sem batata). Tal como as originais de Osaka – e cada pessoa faz de uma forma diferente –, podem levar legumes, bacon, camarão, queijo, tonkastu e lascas de atum-bonito seco que lhe conferem vivacidade.

Cátia Barbosa

Izanagi > Doca de Santo Amaro, Armazém 0, Lisboa > T. 91 085 1920 > seg-dom 12h30-23h30