Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

A Cantina Peruana já abriu numa nova casa no Cais do Sodré

Comer e beber

Uma viagem pelas ruas de Lima, com as suas diferentes influências gastronómicas – andina, espanhola, africana, japonesa ou chinesa –, é a proposta deste restaurante com assinatura de Diego Muñoz, em parceria com o chefe José Avillez. A Cantina Peruana deixou o primeiro andar do restaurante Bairro do Avillez, no Chiado, para se instalar numa casa no Cais do Sodré

Quando a Cantina Peruana abriu, há cerca de um ano e três meses, no primeiro piso do Bairro do Avillez, a ideia era ter no restaurante do Chiado "algo que não fosse da cozinha portuguesa”, diz o chefe José Avillez, o anfitrião desta cantina que se mudou nesta sexta, 21, para o Cais do Sodré, com ementa assinada pelo colega de profissão Diego Muñoz, que lidera os restaurantes 1111 Peruvian Bistro, em Miami, e Belmond Andean Explorer, o primeiro comboio de luxo que atravessa os Andes.

Com o sucesso que alcançou ao fim deste tempo, a dupla sentiu que a Cantina Peruana merecia ter uma casa própria, com uma entrada direta, uma identidade e uma decoração própria. E assim encontraram, na Rua de São Paulo, a casa perfeita para receber os sabores peruanos. “A decoração segue uma linguagem muito simples de cantina, mas sem ter aquele lado étnico peruano", descreve José Avillez.

Os chefes Diego Muñoz, o responsável pela ementa da Cantina Peruana, e José Avillez, o anfitrião, em frente à nova casa no Cais do Sodré

Os chefes Diego Muñoz, o responsável pela ementa da Cantina Peruana, e José Avillez, o anfitrião, em frente à nova casa no Cais do Sodré

“Com esta mudança, reduzimos o número de pratos e aumentámos ligeiramente a quantidade das doses. A ideia é que seja de partilha, por isso retirámos o menu de degustação”, explica ainda Avillez. A ementa sofreu também alterações na arrumação dos pratos apesar de 90% das sugestões serem iguais. Agora já não se divide por Mundos, como na casa anterior, mas por técnicas e elaborações, para facilitar a escolha de quem ali se sentar.

O Tiradito Nikkei, preparado com lâminas finas de atum, leite de tigre nikkei, rábano branco e sésamo, é um dos novos pratos da Cantina Peruana

O Tiradito Nikkei, preparado com lâminas finas de atum, leite de tigre nikkei, rábano branco e sésamo, é um dos novos pratos da Cantina Peruana

Nos mais pedidos, encontram-se os ceviches e os tiraditos, pratos emblemáticos desta “gastronomia assente numa cultura milenar, inspirada em diferentes culturas, como italiana, chinesa e japonesa”, explicou Diego, na altura da inauguração da Cantina Peruana. E neste capítulo, destaca-se a novidade Tiradito Nikkei, lâminas finas de atum, leite de tigre nikkei, rábano branco e sésamo.

Na categoria Brasas arrumam-se as opções grelhadas, como os anticuchos, que normalmente são preparados na rua e são bastante apreciados pelos peruanos. Nas Frituras, como o nome indica, há opções fritas acompanhadas por diferentes molhos. E também aqui há uma novidade: as Papas Anticucheras, umas batatas fritas com pele, em molho anticuchera, com maionese de ají rocoto, criolla, ovos e pistácio.

Entre as iguarias preparadas no wok destaca-se o Lomo saltado, sucesso da carta original, e os novos Saltado de mar (cubos de corvina, vieiras, gambas, lulas e amêijoa, salteadas no wok com portobellos, molho de ostra e gengibre, e mandioca frita) e Chaufa de quinua (quinoa branca salteada com dashi vegetal, gengibre, cogumelos shiitake, soja e noodles de ovo crocantes).

A Cantina Peruana acabou por ser mais gastronómica do que uma simples cantina, mas serviu para as pessoas experimentarem outros pratos da cozinha peruana”, nota José Avillez que, nesta nova morada, serve também almoços e jantares todos os dias e pretende “descontrair o serviço, oferendo a mesma qualidade”.

O Pisco Bar tem uma porta aberta para a rua para servir os clientes

O Pisco Bar tem uma porta aberta para a rua para servir os clientes

Com a mudança para o Cais do Sodré, também o Pisco Bar Lisboa, especializado em cocktails feitos à base de pisco, a bebida espirituosa produzida desde o século XVI no Peru, tem agora uma porta aberta para o exterior para servir os clientes. Na carta, evidencia-se a célebre Chicha Morada, uma infusão de sumo de maçã, ananás e milho roxo, sem álcool, muito popular no Peru.

Carregue-se então baterias com um banquete peruano antes de se ir dançar num dos bares e discotecas da célebre rua cor de rosa.

O Chilcano framboesa e citronela, um dos cocktails servidos no Pisco Bar

O Chilcano framboesa e citronela, um dos cocktails servidos no Pisco Bar

Cantina Peruana > R. de São Paulo, 32, Lisboa > T. 21 584 2002 > seg-dom 12h30-15h, 19h-24h