Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

Vinho Alvarinho: A casta diva

Comer e beber

O seu território de eleição continua a ser o Minho mas já é determinante noutras regiões do País – e não só! A opinião do crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva

É uma casta antiga que se enraizou no Noroeste da Península Ibérica, em ambas as margens do rio Minho, com nomes que soam ao mesmo: Albariño, na banda da Galiza, e Alvarinho, no lado português (termos homófonos, com típica troca nortenha do V pelo B…). Encontrou aqui, nas terras de Monção e Melgaço, condições propícias para produzir vinhos de qualidade excecional. Porém, o seu grande potencial fez com que a casta se expandisse por outras regiões, não só do Minho mas também do País e do mundo.

Os vinhos a que dá origem diferem entre si, mas sempre com o perfil floral e frutado característico, a estrutura equilibrada e rica, o bom teor alcoólico, a acidez viva, a elegância no porte, enfim, a sua personalidade, que é cativante. E está ainda por explorar devidamente aquele que poderá vir a ser o seu melhor filão: Alvarinho com idade. Há, todavia, quem esteja a trabalhar nesse campo com resultados e com futuro, como Anselmo Mendes (ou não fosse ele “o Senhor Alvarinho”).

Os concelhos de Monção e Melgaço são referências incontestáveis dos grandes vinhos Alvarinho, que são sempre uma boa surpresa, onde quer que apareçam. Os enófilos mais atentos já provaram, certamente, Alvarinhos de diferentes terroirs do País e anotaram as suas diferenças de perfil, de aromas e de sabores. O Alvarinho de Monção e Melgaço irá distinguir-se do Alvarinho do Douro e do Alvarinho do Ribatejo, mas todos terão coisas a dizer. Eis três exemplos para início de conversa, que terá pelo menos um ponto de consenso: Alvarinho é a mais querida e admirada casta portuguesa, a grande atração, a diva.

Vale dos Ares Alvarinho Monção e Melgaço 2017
Uvas colhidas à mão com demora de três minutos, em média, a chegarem à adega. O mesmo rigor em todo o processo de vinificação. Daí este vinho de aspeto brilhante, cor citrina, aroma fino com notas de flores (tília, flor de laranjeira) e frutos (citrinos e outros frescos), paladar com estrutura, mineralidade. €9,90

Quinta de Cidrô Alvarinho 2017
Um Alvarinho diferente, de guarda. Cor citrina com reflexos dourados, aroma delicado com envolventes notas florais e frutadas, destacando-se a flor de laranjeira e os citrinos. Paladar cheio, encorpado, fresco, e final longo com acidez e mineralidade cativantes. €9

Quinta da Alorna Alvarinho 2017
A cor é amarela-citrina, o aroma é complexo marcado pela fruta, com boas notas de laranja, pêssego e maçã, e um ligeiro toque floral. Paladar cheio, bem estruturado, com excelente acidez e final atraente. Gastronómico, acompanha entradas, pratos de marisco e de peixe, e massas italianas. €4,99